UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/02/2010 - 18h04

Fed espera alta de 2,8% e 3,5% no PIB e inflação sob controle em 2010

SÃO PAULO - O Federal Reserve (Fed, banco central americano) melhorou ligeiramente suas estimativas para a variação do Produto Interno Bruto (PIB) real dos EUA. Agora, a autoridade monetária estima uma expansão entre 2,8% e 3,5% em 2010, projeção com piso mais elevado do que a feita em novembro, quanto previa uma alta entre 2,5% e 3,5%.

Segundo o Fed, a avaliação geral é de que a economia está se recuperando, embora em ritmo moderado. " Muitos indicaram que a expansão deve ser contida não apenas pela cautela das empresas em contratar e investir em meio a uma incerteza considerável quanto aos prognósticos da economia e das condições dos negócios, mas também pelo acesso limitado ao crédito por parte de pequenas empresas e consumidores que dependem de financiamento intermediado por bancos " , diz relatório do Fed.

O cenário deve melhorar em 2011 e 2012. Para o ano que vem, a faixa central da estimativa de crescimento econômico vai de 3,4% a 4,5%, mesma projeção de novembro. Para 2012, a banda é de 3,5% a 4,5% - com teto ligeiramente inferior ao previsto em novembro, de 4,8%. O cálculo dessa estimativa central leva em conta as previsões dos diretores do Fed e dos presidentes das suas unidades regionais, descontando as três mais altas e as três mais baixas. Por outro lado, os dirigentes da autoridade monetária elevaram o piso da expectativa para a taxa de desemprego em 2010. A faixa central agora está em 9,5% a 9,7%. Em novembro, a autoridade monetária projetava taxa de desemprego entre 9,3% e 9,7%. Para 2011, espera-se melhora, com a faixa central indo de 8,2% a 8,5%. Um quadro mais otimista é esperado para 2012, quando o desemprego deve se situar entre 6,6% e 7,5% da população economicamente ativa dos EUA.

O Fed elevou levemente as estimativas da inflação medida pelo PCE (índice de preços dos gastos com consumo dos norte-americanos). Em 2010, o núcleo do indicador, que desconta preços de alimentos e energia, deve variar de 1,1% a 1,7%, ligeiramente acima da faixa de 1% a 1,5% da previsão anterior. O indicador geral, por sua vez, deve se situar entre 1,4% e 1,7% neste ano, contra projeção anterior de 1,3% a 1,6%.

O núcleo da inflação medida pelo PCE deve ficar em uma faixa de 1% a 1,9% em 2011 e de 1,2% a 1,9% em 2012. O PCE geral deve variar entre 1,1% e 2% no ano que vem, e entre 1,3% a 2% no ano seguinte. (Paula Cleto | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host