UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/02/2010 - 16h02

Balanços e dividendos sustentam alta das bolsas europeias

SÃO PAULO - As bolsas europeias encerraram em terreno positivo pelo quarto pregão seguido, impulsionadas principalmente por resultados corporativos e anúncios de pagamento de dividendos maiores.

Em Londres, o FTSE 100 avançou 0,92%, para 5.325 pontos, enquanto em Paris o CAC-40 andou 0,61% para 3.748 pontos. Em Frankfurt, o DAX subiu 0,57%, para 5.680 pontos.

Entre as empresas que divulgaram balanços hoje, as ações da ABB avançaram 7,6% depois que a maior construtora de redes elétricas do mundo divulgou lucro de US$ 540 milhões no quarto trimestre, mais que o dobro dos US$ 213 milhões apurados em igual período de 2008.
O resultado superou a estimativa de analistas, que esperavam lucro de US$ 519 milhões. A companhia também anunciou um aumento na distribuição de dividendos aos seus acionistas.

A fabricante britânica de equipamentos de defesa BAE Systems trouxe prejuízo de 67 milhões de libras (US$ 107 milhões) em 2009, revertendo o lucro de 1,75 bilhão de libras obtido um ano antes, devido a uma série de despesas não recorrentes.
A empresa contabilizou despesas de 973 milhões de libras com depreciação de sua unidade de negócios Armor Holdings e ainda pagou 278 milhões de libras para encerrar duas investigações do Departamento de Justiça americano e do Escritório de Combate a Fraudes do Reino Unido.

Mesmo assim, as ações da BAE dispararam 4,3% depois que a companhia anunciou a recomrpa de até 500 milhões de libras em ações e elevou o valor de seus dividendos em 10%, para 16 centavos de libra.

Em contrapartida, as ações da montadora alemã Daimler caíram 4,97%. A empresa disse que não distribuirá dividendos em função do prejuízo de 352 milhões de euros registrado no quarto trimestre. No ano, a perda acumulada chegou a 2,664 bilhões de euros, contra lucro de 1,414 bilhão de euros em 2008.

As ações do Societe Generale afundaram 7,2% porque o banco francês também resolveu cortar a distribuição de dividendos após encerrar 2009 com lucro líquido 66,3% menor, de 678 milhões de euros, na comparação com os 2,010 bilhões de euros obtidos no calendário anterior. No quarto trimestre, entretanto, o lucro líquido somou 221 milhões de euros, quase três vezes mais do que o registrado no mesmo período de 2008.

(Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host