UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/02/2010 - 14h17

Lucro da ABB no quarto trimestre atinge US$ 540 milhões

SÃO PAULO - A ABB, a maior construtora de redes elétricas do mundo, divulgou nesta quinta-feira que o lucro líquido do quarto trimestre do ano passado mais que dobrou, somando US$ 540 milhões, contra um ganho de US$ 213 milhões em igual período de 2008.

O resultado positivo se deu mesmo mediante despesas relacionadas à reestruturação, no valor de US$ 350 milhões. No entanto, a receita caiu 4%, para US$ 8,76 bilhões.

Os resultados superaram a estimativa de analistas, que esperavam um lucro líquido de US$ 519 milhões e uma receita de US$ 8,6 bilhões. Já o lucro por ação aumentou para US$ 0,24 no quarto trimestre em comparação com US$ 0,09 do mesmo período do ano anterior.

O grupo de engenharia, que opera em cerca de cem países, incluindo o Brasil, registrou ainda um recorde no fluxo de caixa de operações de US$ 1,8 bilhão no período contra US$ 1,4 bilhão no quarto trimestre de 2008.
De acordo com o diretor-executivo da companhia, Joe Hogan, combinados com o recorde no fluxo de caixa de operações e um crescimento de dois dígitos nos pedidos provenientes de mercados emergentes, "os resultados mostram a resiliência do portfólio de negócios da ABB e o escopo geográfico".
"Nós vamos continuar a perseguir agressivamente o crescimento em mercados emergentes, oportunidades a nível global para ampliar a produtividade industrial, menor consumo de energia e iremos tratar da mudança climática. Ao mesmo tempo, o custo irá permanecer como foco principal. Por este motivo, já expandimos nossa meta para redução de custos para US$ 3 bilhões, para assegurar que continuemos dentro de nossa meta de lucro", acrescentou.
Anteriormente, a meta de redução de custos para 2010 era de US$ 2 bilhões. A redução de custos ao longo de 2009 superou o planejado e excedeu a meta em US$ 1,5 bilhão. Cerca de 50% dessas economias foram atingidas por meio da otimização de aquisição de produtos ou serviços de fornecedores globais - excluindo mudanças nos preços das commodities. O restante foi atingido por meio de corte em gastos gerais e administrativos, além de outras medidas operacionais.

Em todo o ano passado, o lucro líquido da companhia foi de US$ 2,9 bilhões contra os US$ 3,1 bilhões de 2008, o que representa uma queda de 7%. Por sua vez, a receita caiu 9%, de US$ 34,9 bilhões para US$ 31,8 bilhões. O lucro por ação caiu de US$ 1,36 para US$ 1,27.
(Karin Sato | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host