UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/02/2010 - 16h12

Bovespa segue Wall Street e volta a operar em alta

SÃO PAULO - Acompanhando o mercado americano, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) faz nova tentativa de alta no pregão desta sexta-feira. Por volta das 16h10, o Ibovespa subia 0,42%, aos 66.400 pontos, com giro de R$ 3,98 bilhões.

Em Wall Street, os índices voltaram a ter variação positiva, mas as compras não são muito firmes. Há pouco, o Dow Jones subia 0,10%, enquanto o Nasdaq se valorizava 0,17%.

A agenda do dia foi carregada, mas os dados apresentados não foram determinantes para o comportamento do mercado, que foi errático desde o começo do pregão tanto em Wall Street quanto por aqui.

A venda de imóveis usados nos EUA caiu 7,2% em janeiro, para 5,05 milhões de unidades na taxa anualizada, menor leitura em sete meses. Já a confiança do consumidor, calculada pela Universidade de Michigan, recuou de 74,4 em janeiro para 74,4 agora em fevereiro.

Antes disso, foi divulgado que o Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu 5,9%, no quarto trimestre, resultado em linha com o previsto e acima da primeira preliminar, que tinha apontado avanço de 5,7%.

No câmbio, o dólar caminha para encerrar os negócios com firme baixa. Os vendedores dominaram o pregão e, há pouco, o dólar comercial valia R$ 1,808 na venda, queda de 1,25%. A esse preço, a moeda fecha fevereiro valendo 4,08% menos.

No âmbito corporativo, as siderúrgicas são destaque pelo segundo dia seguido em função de bons resultados trimestrais. A ação ON da CSN ganhava 2,56%, a R$ 59,49, com o terceiro maior volume do dia. Como os pares Usiminas e Gerdau, os resultados da siderúrgicas agradaram. A CSN obteve lucro líquido de R$ 745,4 milhões entre outubro e dezembro de 2009. Um ano antes, a empresa tinha embolsado R$ 3,936 bilhões.

Ainda no setor, Usiminas PNA se valorizava 2,71%, a R$ 51,10, enquanto Gerdau PN tinha alta de 2,45%, a R$ 26,76.

Entre os carros-chefe, Petrobras PN reverteu perdas e subia 0,72%, a R$ 34,63. E Vale PNA ganhava 0,60%, a R$ 44,82.

Ainda entre as empresas de matérias-primas, mas com sinal negativo, Fibria ON caía 5,08%, a R$ 33,03, maior queda do índice. A empresa, resultado da junção de Aracruz e VCP, teve prejuízo de R$ 150 milhões no quarto trimestre, revertendo lucro de R$ 181 milhões registrado três meses antes. A perda, no entanto, foi menor que o prejuízo pro forma de R$ 968 milhões contabilizado entre outubro e dezembro de 2008. Em 2009, a Fibria obteve lucro líquido de R$ 558 milhões, revertendo perda pro forma de R$ 1,310 bilhão.

De volta à ponta de compra, as aéreas seguiam ganhando valor. TAM PN subia 4,81%, a R$ 32,65, e GOL PN se valorizava 3,51%, a R$ 24,16. Depois de dois dias de quedas acentuadas, BM & FBovespa ON passava por recuperação e registrava alta de 2,53%, a R$ 11,74.

Fora do índice, Telebrás é destaque de volume, movimentando mais de R$ 77 milhões. Há pouco, o ativo subia 6,0%, a R$ 2,47.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host