UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/02/2010 - 16h00

Marina critica governo por "omissão" em relação a Cuba

RIO - A ex-ministra do Meio Ambiente e possível candidata à sucessão presidencial pelo Partido Verde (PV), Marina Silva, criticou duramente o que chamou de "omissão" do governo brasileiro em relação à morte de um dissidente cubano na prisão pouco antes da visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao país.

"Existem alguns princípios que não podem ser relativizados em hipótese alguma. A defesa da liberdade, dos direitos humanos e da liberdade de expressão é algo que temos que defender como um princípio, como um valor", afirmou Marina, logo após participar de um programa de rádio no Rio de Janeiro.

"Não tem que ter medo da democracia, da liberdade, da liberdade de imprensa, que ajudam inclusive a refinar o país. E se isso tudo é importante para o Brasil e os brasileiros, por que também não é importante para os cubanos? Essa é a crítica que faço à omissão e ao silêncio do governo brasileiro em relação ao episódio de Cuba", acrescentou.

Marina também atacou a postura do governo brasileiro em relação ao Irã. Segundo ela, o país tem uma postura destoante entre as nações ocidentais.

"Até a Rússia e a China veem a posição do Irã como uma questão perigosa e arriscada. Por que o Brasil não analisa os aspectos de oportunidade e conveniência em relação aos movimentos que faz em relação ao Irã?", questionou.

A ex-ministra não fugiu de temas espinhosos e combateu qualquer postura discriminatória do Estado em relação à união homossexual.

"A minha posição pessoal é uma posição que tem a ver à luz da minha fé, e isso eu não tenho como fazer diferente, como pensar diferente. Agora, em relação a discriminar qualquer pessoa em relação àquilo que ela é, àquilo que ela sente, obviamente que o Estado não vai fazer isso", frisou Marina.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host