UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/03/2010 - 17h03

Balança de fevereiro mostra recuperação das exportações

BRASÍLIA - Embora o mais baixo para o mês desde fevereiro de 2002 (US$ 265 milhões), o saldo comercial do mês passado, de US$ 394 milhões, demonstrou retomada de fôlego das exportações brasileiras, no ano. Reflexo de recuperação da crise, confirmando previsões que apontavam os mercados emergentes saindo na frente, além do claro aquecimento interno, avaliou o secretário de Comércio Exterior, Welber Barral.

"Provavelmente, neste ano, não teremos uma balança comercial deficitária", disse o secretário. Analistas do mercado financeiro apontam esse risco se o aquecimento econômico do país for mais forte que o previsto.

A reação positiva do mercado doméstico impede um saldo de comércio exterior mais elevado, porque estimula o aumento de importações. As compras externas cresceram 50,8%, por exemplo, em fevereiro deste ano ante o mesmo mês de 2009, somando US$ 11,803 bilhões, valor recorde para o mês sob a ótica da média diária (US$ 655,7 milhões).

Barral destaca que o dinamismo interno começa a expandir a busca por suprimentos que o país não tem. Cita como exemplo a alta de 75,6% na importação de acessórios de maquinaria industrial ante fevereiro do ano passado, item incluído na área de bens de capital, que no geral subiu 30,8% na mesma comparação.

Mas é para as exportações que o secretário procura olhar com mais atenção. Ele destaca que a crise derrubou as vendas externas brasileiras em 20,9% em fevereiro do ano passado sobre fevereiro de 2008. Agora, houve avanço de 27,2% para US$ 12,197 bilhões, também configurando-se recorde para meses de fevereiro pela média diária (US$ 677,6 milhões).

"É verdade que a base de 2009 é baixa por causa da crise. Mas há a recuperação de vários mercados, principalmente a dos emergentes que está se configurando como se previa", comentou ele. E se há tendência de alta das importações com a economia interna se aquecendo, também há expectativa de elevar as exportações, com a entrada neste mês dos principais produtos da pauta local, que ainda são os produtos agrícolas (soja, principalmente).

Dados divulgados por Barral apontam aumento de 165,4% na exportação de laminados planos no mês passado sobre fevereiro de 2009, ou de automóveis em 95,6%, por exemplo.

Em relação aos destinos, as vendas ao Mercosul cresceram 56,8%, sendo que para a Argentina subiu 66,1% sobre fevereiro de 2009, com elevação ainda de 76,9% para a Europa Oriental. Os Estados Unidos mantiveram a liderança como principal receptor das vendas brasileiras, depois de retomar posição conquistada em 2009 pela China. (Azelma Rodrigues | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host