UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/03/2010 - 17h42

BTG Pactual compra fatia do capital da Mitsubishi no Brasil

SÃO PAULO - O banco de investimentos BTG Pactual fechou com o empresário Eduardo de Souza Ramos a compra de uma participação minoritária na Mitsubishi Motors do Brasil (MMCB), representante da marca japonesa no país. A fatia e os valores envolvidos na operação não foram divulgados.

Segundo Carlos Fonseca, sócio do BTG Pactual, o negócio dá ao banco a condição de participar da administração da empresa brasileira, o que inclui decisões estratégicas de investimento. Com o acordo, a instituição do banqueiro André Esteves passará a ocupar uma das cinco cadeiras do conselho de administração da Mitsubishi brasileira.

A ideia, segundo Fonseca, é aproveitar o crescimento do mercado nacional de veículos, que deverá renovar seu recorde de produção neste ano, conforme as projeções da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Por sua vez, o novo sócio traz expertise financeira e administrativa para a Mitsubishi, cujo faturamento anual gira ao redor de R$ 4 bilhões, de acordo com informações da própria companhia.

"É uma empresa que tem um histórico muito bom de crescimento nos últimos anos. É a melhor plataforma de investimento nesse segmento em nossa opinião", afirmou Fonseca ao justificar a escolha da MMCB durante teleconferência com a imprensa.

Não obstante o discurso positivo, em um ano de crescimento de 12,6% do mercado, as vendas de automóveis e comerciais leves da Mitsubishi no Brasil mostraram baixa de 8,9% em 2009, para 37,5 mil unidades.

Mesmo assim, o executivo do BTG Pactual garante que o "casamento" com a MMCB visa resultados de longo prazo. "Não existe a necessidade e uma previsão de saída (de curto prazo)", disse Fonseca.

O acordo não inclui qualquer cláusula de exclusividade que impeça o banco de realizar parcerias semelhantes com concorrentes da MMCB. A operação também não envolve a capitalização da empresa para futuros investimentos, uma vez que ela foi fechada com Eduardo de Souza Ramos, antes dono de 100% do capital da companhia.

Apesar da entrada de um sócio com experiência em aberturas de capital, Ramos descartou qualquer plano de levar a MMCB à bolsa de valores. "Não há nenhum plano desenhado para levar a Mitsubishi ao mercado de capitais", disse.

(Eduardo Laguna | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host