UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/03/2010 - 11h30

Renova Energia apresenta oferta primária de R$ 867 milhões

SÃO PAULO - Cresce o número de empresas que pretende captar recursos durante o mês de março na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A Renova Energia, que atua na geração de energia elétrica por meio de fontes renováveis, apresentou os termos de uma oferta primária que pode ultrapassar R$ 860 milhões.

Vale lembrar que o mês já reserva as colocações da BR Properties, que pode marcar R$ 1,7 bilhão, e Gafisa, estimada em R$ 1,3 bilhão.

No caso da Renova, a empresa ofertará units, certificados de depósitos de ações compostos por uma ação ordinária e duas preferenciais.

Serão distribuídos inicialmente 25.716.295 units. O preço de emissão está estimado entre R$ 19,00 e R$ 25,00, mas pode ficar fora de tal faixa. Considerando o teto da estimativa, a oferta movimentará R$ 642 milhões. A cifra, contudo, pode chegar a R$ 867 milhões, caso sejam colocados integralmente o lote suplementar e adicional.

Com esse dinheiro, a companhia vai investir na construção de novos parques eólicos de geração de energia e pequenas centrais elétricas (PCHs).

As pessoas físicas podem tomar parte na distribuição com investimento mínimo de R$ 3 mil. Os pedidos de reserva devem ser realizados entre os dias 8 e 16 de março.

O preço das units será fixado no dia 17 e os ativos poderão ser negociados dia 19 de março, sob o código RNEW11, no Nível 2 de Governança Corporativa da Bovespa.

O controle da Renova é da RR Participações, holding controlada por Ricardo Lopes Delneri (65%) e Renato do Amaral Figueiredo (35%), que responde por 67,8% das ações ON.

O restante do capital é do fundo InfraBrasil , administrado pelo banco Santander, e que tem como cotistas a BNDESPar e fundos de pensão, entre os quais Petros, dos funcionários da Petrobras, e Funcef, da Caixa Econômica Federal, e Previ, do Banco do Brasil.

Constituída em 2006, a companhia opera três PCHs e foi a maior vendedora de energia no leilão exclusivo de energia eólica feito pelo governo federal em dezembro de 2009, com garantia de venda de 270 MW, por meio de 14 parques eólicos que estão em construção na Bahia.

A empresa possui, ainda, um portfólio de projeto de 72 parques eólicos, todos localizados no Estado da Bahia, com uma potencial capacidade instalada de 2.078 MW.

A venda das units é coordenada pelo Santander, Bank of America Merrill Lynch, Banco Votorantim, BB Investimentos e Espírito Santo Investment.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host