UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/03/2010 - 18h54

Bovespa sobe, mas segue abaixo dos 68 mil pontos

Com ajuda das ações da Vale e dos ganhos em Wall Street a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) garantiu um pregão de valorização nesta quinta-feira, mas ainda segue abaixo dos 68 mil pontos. O Ibovespa oscilou mais de 1.200 pontos entre máxima e mínima até fechar com leve alta de 0,26%, aos 67.814 pontos. O giro foi de R$ 5,56 bilhões.

Em Wall Street, as compras ganharam força no final do pregão e o Dow Jones fechou com alta de 0,02%, a 10.405 pontos, passando a acumular leve valorização de % em 2010. O S & P 500 avançou 0,23%. Já o Nasdaq subiu 0,32%. Com isso, os índices avançam % e %, no acumulado do ano.

Na visão do assessor de investimentos da Corretora Souza Barros, Luiz Roberto Monteiro, a Bovespa vai continuar patinando até que sejam resolvidos os problemas envolvendo os déficits ficais de alguns países europeus.

Apesar de alguns avanços, como novos cortes de despesas e forte demanda pelos títulos da Grécia, os agentes não estão confortáveis em ampliar posições em ativos de risco.

Fora isso, diz Monteiro, os dados sobre a economia americana não ajudam, pois não apontam em uma única direção. Hoje, o setor imobiliário vou a demonstrar perda de dinamismo. O índice que mede a assinatura de contratos de vendas de imóveis usados caiu 7,6% em janeiro. Por outro lado, as encomendas à indústria subiram 1,7% no começo de 2010. E pelo lado do emprego, os pedidos por seguro-desemprego caíram em 29 mil na semana passada, para 469 mil.

De volta ao front doméstico, o especialista ressalta que o que movimentou o pregão foram as notícias sobre o reajuste no preço do minério de ferro, que poderia subir em até 80% em 2010. "Todo mundo falou, mas ninguém viu reajuste", resume Monteiro, lembrando que também falta estabelecer qual é o preço base sobre qual será aplicado algum reajuste.

Verdade ou não esses ruídos levaram alguns agentes a montar posições em ações da Vale, o que acabou contribuindo para os ganhos do dia. O papel PNA da mineradora movimentou mais de R$ 900 milhões, até fechar com alta de 1,45%, a R$ 46,00. Já o ON subiu 1,38%, a R$ 52,60. Acompanhando a Vale, o papel ON da MMX Miner teve acréscimo de 2,31%, para R$ 13,26.

Petrobras PN oscilou diversas vezes entre alta e abaixa até fechar com leve valorização de 0,14%, a R$ 35,20. Já OGX Petróleo ON caiu 1,98%, a R$ 15,79, e Petrobras ON cedeu 0,55%, a R$ 39,19.

O destaque de alta foi da ação ON da CCR Rodovias, que subiu 3,56%, a R$ 38,63. Eletrobrás PNB teve acréscimo de 2,84%, a R$ 30,03, e Usiminas ON avançou 2,18%, a R$ 52,28.

No lado oposto, Pão de Açúcar PNA caiu 3,30%, a R$ 61,93. Cosan ON recuou 2,86%, a R$ 22,70, e Cesp PNB cedeu 2,73%, para R$ 23,10.

Entre as empresas que apresentam balanço, o papel PN da AmBev perdeu 1,26%, a R$ 175,26. O lucro líquido da companhia somou R$ 1,764 bilhão entre outubro e dezembro de 2009, leve alta de 1,67% sobre o R$ 1,735 bilhão verificado nos mesmos três meses do exercício 2008.

A Itaú Corretora encarou o resultado como neutro e manteve o rating "market perform", ou média do mercado, para as ações da companhia, com preço-alvo de R$ 193,80.

Fora do índice, o papel PN da Randon teve baixa de 3,09%, a R$ 14,72. A fabricante de carrocerias e autopeças encerrou 2009 com lucro líquido consolidado de R$ 139 milhões, queda de 40% ante os R$ 231 milhões embolsados em 2008. Apenas no quarto trimestre do ano passado, a companhia lucrou R$ 40,74 milhões, cifra 16,4% menor que a obtida um ano antes. Para a Ativa Corretora, o resultado foi positivo. A recomendação "comprar" foi reiterada e o papel tem preço-alvo de R$ 19,88 para dezembro de 2010.

Com mais de R$ 80 milhões em volume, Telebrás PN perdeu 6,06%, a R$ 2,17. Os recibos de ações da Laep, controladora da Parmalat, caíam 3,91%, a R$ 1,72. Já o papel ON da IGB, antiga Gradiente, subiu 7,72%, a R$ 11,15.

Ainda na chamada quinta linha, os papéis da Inepar Telecom foram alvo de forte demanda no final da tarde. Com isso, a ação ON disparou 48,38%, maior alta da bolsa, para fechar a R$ 0,92. O giro foi de R$ 12 milhões.

Questionada, a área de relações com investidores da empresa ratificou que a Inepar Telecom é uma empresa com atividade operacional suspensa.

"Com prejuízo acumulado de R$ 237 milhões e patrimônio liquido negativo de R$ 20 milhões, no momento oportuno daremos o melhor destino para a Inepar Telecom", ressaltou a companhia. Já o papel PN da Inepar ganhou 0,26%, a R$ 7,60.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host