UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/03/2010 - 10h09

Oferta de ações da Hypermarcas pode passar de R$ 1,2 bilhão

SÃO PAULO - A fabricante de bens de consumo Hypermarcas volta ao mercado em busca de recursos para financiar seu plano de crescimento. A companhia pretende levantar mais de R$ 1,2 bilhão e se comprometeu a usar 100% desse dinheiro na aquisição de novas empresas, ativos e marcas.

Pelos termos da oferta, serão ofertadas inicialmente 43,480 milhões de ações ordinárias. Tomando como base o preço de fechamento do papel no pregão de ontem da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), de R$ 21,37, isso representa R$ 929 milhões. Considerando a colocação dos lotes suplementar e adicional, o montante chega a R$ 1,24 bilhão.

Os atuais acionistas não terão preferência na compra dos papéis. As pessoas físicas foram convidadas a participar com investimento mínimo é de R$ 3 mil. Mas o interessado tem apenas dois dias para fazer seu pedido de reserva, dias 29 e 30 de março.

Ainda de acordo com o cronograma indicativo, o preço de emissão será fixado no dia 31 de março e os ativos estarão disponíveis à negociação no dia 5 de abril, no Novo Mercado da Bovespa sob o código HYPE3.

Caso concretizada, esta será a terceira vez que a empresa vende ações na Bovespa. Depois de um ensaio em 2007, a Hypermarcas chegou ao mercado em 2008 com uma distribuição primária que rendeu R$ 612,39 milhões ao caixa da companhia. Na época, foram vendidas pouco mais de 36 milhões de ações, a R$ 17,00 cada. Os estrangeiros mostraram forte adesão, tomando 85% dos ativos ofertados.

Já em julho do ano passado, a empresa vendeu outras 34,5 milhões de ações ordinárias, sendo 24,5 milhões de novos papéis e 10 milhões de ativos dos acionistas vendedores, a R$ 23,00 cada. Os estrangeiros responderam por 80% da oferta.

A Hypermarcas fechou 2009 com lucro líquido de R$ 313,4 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 207,9 milhões registrado um exercício antes. Apenas no quarto trimestre do ano passado, o lucro líquido da empresa somou R$ 101 milhões, ante prejuízo de R$ 153,2 milhões apurado nos três últimos meses do ano anterior.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host