UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/03/2010 - 07h33

Temer vence disputa com PT pela presidência da CCJ

BRASÍLIA - Após intensa campanha que contou com o apoio do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), o deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS) venceu a disputa interna contra o correligionário e conterrâneo Mendes Ribeiro e foi eleito para presidir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante da Casa.

O placar não foi tão folgado quanto se esperava: 33 a 26. Refletiu, porém, o jogo de forças e de interesses políticos presentes na disputa. Os petistas se opuseram a Temer e Padilha e apoiaram Mendes Ribeiro, por entender que ele facilita a campanha no Rio Grande do Sul da candidata do partido a presidente, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil). Mendes tem defendido que o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), seja um dos palanques de Dilma no Estado. O outro palanque já confirmado é o do ex-ministro Tarso Genro (PT).

Além disso, Padilha é considerado muito ligado aos tucanos. Ele foi ministro do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e defende que Fogaça seja o palanque gaúcho apenas do possível candidato do partido a presidente, José Serra. Entretanto, Temer queria alguém próximo a ele no comando da CCJ e, segundo alguns deputados, fez intensa campanha para Padilha. A oposição se viu em uma encruzilhada Se apoiasse Padilha, daria a vitória e fortaleceria Temer, o provável vice de Dilma. Já o apoio a Mendes abriria possibilidade para o duplo palanque de Dilma no Rio Grande do Sul. Não fechou questão e se dividiu. Nas outras comissões, foram respeitadas as indicações dos líderes e não houve eleições. Os pemedebistas, além da CCJ, ficaram também com Fiscalização e Controle, a cargo de Nelson Bornier (RJ), e Ciência e Tecnologia, com Eunício Oliveira (CE). O PT presidirá Finanças e Tributação, com Pepe Vargas (RS); Direitos Humanos, com Iriny Lopes (ES); e Educação, com Angelo Vanhoni (PR). Minas e Energia ficou com Mário Negromonte (PP-BA); Desenvolvimento Econômico, com Dr. Ubiali (PSB-SP); Trabalho, com Alex Canziani (PTB-PR); Seguridade Social, com Vieira da Cunha (PDT-RS); e Viação e Transportes, com Milton Monti (PR-SP).

A oposição ficou com áreas importantes nas eleições deste ano. Relações Exteriores foi para o PSDB, com Emanuel Fernandes (SP), e Meio Ambiente, para o DEM, com Jorge Khoury (BA). O partido também assegurou Agricultura, para Abelardo Lupion (PR). O PPS indicou Humberto Souto (MG) para a Comissão de Desenvolvimento Urbano.

(Caio Junqueira | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host