UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/03/2010 - 15h17

Bolsas europeias fecham em alta com dados de emprego nos EUA

SÃO PAULO - Os dados sobre o "payroll" impulsionaram as bolsas europeias nesta sexta-feira. O mercado também trabalhou com a expectativa de um pacote de ajuda da União Europeia à Grécia.

Em Londres, o FTSE 100 ganhou 1,31%, para 5.600 pontos. O CAC 40, de Paris, subiu 2,14%, para 3.910 pontos. Em Frankfurt, o DAX avançou 1,42%, para 5.877 pontos.

O Departamento do Trabalho dos EUA mostrou que a economia perdeu 36 mil postos em fevereiro, dado bem melhor que a perda de mais de 60 mil vagas projetada por analistas. A taxa de desemprego permaneceu em 9,7%.

As atenções agora se voltam para um provável pacote de ajuda da União Europeia à Grécia. Nesta sexta-feira, o primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, terá um encontro com a chanceler alemã Angela Merkel em Berlim para tratar da crise grega.

O ministro da Economia da Alemanha, Rainer Bruederle, avisou que o governo "não pretende dar um centavo" aos gregos em ajuda financeira. Na quarta-feira, quando o governo grego anunciou novas medidas de austeridade para economizar 4,8 bilhões de euros, Angela Merkel elogiou o esforço e comentou que o assunto seria o tema do encontro com o premiê da Grécia. "Quero deixar claro que a reunião de sexta-feira não é sobre um acordo de ajuda, mas sobre as boas relações entre Alemanha e Grécia", sustentou a chanceler.

Berlim é a primeira parada no roteiro da viagem de cinco dias de Papandreou, que passará também por Luxemburgo, Paris e Washington. Os bancos figuraram entre os destaques de alta do dia, com Societe Generale ganhando 4,8% e o Standard Chartered subindo 3,5%.

As ações do setor de commodities também subiram com força, puxadas pela valorização do cobre. O metal segue pressionado pelas preocupações sobre os problemas de fornecimento do Chile por conta do terremoto que atingiu o país. Rio Tinto ganhou 2,7% e Xstrata avançou 5,6%.

A Glencore recomprou suas minas de carvão colombianas das mãos da Xstrata. A empresa resolveu exercer sua opção de compra das operações de carvão Prodeco por US$ 2,25 bilhões em dinheiro. No ano passado, a Glencore vendeu o ativo para levantar recursos, com a opção de readquiri-lo.

(Téo Takar | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host