UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/03/2010 - 17h24

Fundos Emergentes têm tímida captação no começo de março

SÃO PAULO - Os fundos de ações de mercados emergentes seguiram captando recursos na passagem de fevereiro para março, mas o volume foi bastante tímido. Segundo os dados da EPFR Global, foram apenas US$ 240 milhões na semana encerrada dia 3 de março. No acumulado do ano, as carteiras emergentes já receberam US$ 2,2 bilhões.

Os fundos da América Latina, assim como os fundos Ásia (exceto Japão) e Emergentes da Europa, Oriente Médio e África (EMEA, na sigla em inglês) receberam novos aportes que variaram de US$ 42 milhões a US$ 169 milhões. Já os diversificados Mercados Emergentes Globais (GEM, na sigla em inglês) amargaram leve perda de recursos.

Ainda entre os emergentes, os Fundos de Ações da China voltaram a perder dinheiro. Foram sacados US$ 17 milhões, o que reflete a cautela dos agentes antes da realização do Congresso Popular Nacional, de onde podem surgir novas medidas restritivas para conter o aparecimento de bolhas nos setores imobiliário e financeiro do país.

Os fundos BRIC (Brasil, Rússia, Índice e China), outra forma de exposição aos emergentes, também ganharam dinheiro novo, mas a consultoria notou que os volumes estão bem mais tímidos do que os registrados ao longo de 2009.

Considerando os fundos emergentes e desenvolvidos, todas as carteiras de ações acompanhadas pela EPFR Global levantaram US$ 2,3 bilhões na semana encerrada dia 3 de março. Mas no ano, os saques ainda somam US$ 11,6 bilhões.

Enquanto isso, todos os fundos de bônus ganharam outros US$ 5,68 bilhões na semana, o que eleva o saldo de 2010 para cima dos US$ 41,3 bilhões. O destaque dentro do grupo ficou com os Fundos de Bônus Global, que levantaram US$ 2,6 bilhões, melhor semana em mais de 10 anos.

Voltando o foco para os países desenvolvidos, os fundos de ações com foco nesses mercados captaram US$ 2,8 bilhões na semana, mas ainda devem US$ 12,2 bilhões em todo o ano de 2010.

Os Fundos de Ações dos Estados Unidos seguiram levantando recursos com ajuda dos Exchange Traded Funds (ETF, na sigla em inglês), ou fundos de índice, voltados para empresas de pequena e média capitalização de mercado.

Pela 10ª semana seguida, os Fundos de Ações do Japão ganharam dinheiro novo. Com isso, o saldo acumulado no ano está positivo em mais de US$ 2 bilhões. Os investidores reagiram a uma queda no desemprego e ao aumento das exportações.

Com outra dinâmica, os Fundos de Ações da Europa seguiram perdendo recursos. Os saques na semana somaram US$ 657 milhões. Na visão da consultoria, a preocupação com o baixo ritmo de crescimento econômico pesa mais sobre a disposição do investidor do que os problemas fiscais da Grécia.

Entre os fundos setoriais, destaque para as carteiras com foco em Commodities, que receberam US$ 693 milhões e colocaram fim a um período de oito semanas sem captação.

A EPFR Global apontou que os aportes têm relação com a expectativa de maior demanda na Índia, Brasil e outras economias emergentes.

A melhora de percepção quanto à crise fiscal da Grécia aliada a alguns balanços trimestrais ajudaram os setoriais de Finanças a atrair dinheiro. As carteiras de Bens de Consumo tiveram a melhor semana dos últimos cinco anos. Já os veículos com foco em Telecom e Energia perderam recursos.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host