UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/03/2010 - 13h42

Mantega critica câmbio da China e pede novo acordo global

SÃO PAULO - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, criticou duramente o regime cambial chinês durante palestra em São Paulo. " Hoje enfrentamos um concorrência desleal com a Ásia. A China só pensa em si própria e não quer saber dos outros países " , disse ele, referindo-se ao regime de câmbio fixo definido pelas autoridades do país.

Mantega voltou a defender o regime flutuante, " porque corrige desequilíbrios mais rapidamente " , mas lembrou que, se outros países seguem outras regras, pode haver discrepâncias.

Depois de admitir que os exportadores brasileiros têm sido prejudicados pelo câmbio, Mantega disse que o governo sabe que precisa reduzir custos. " Precisamos reduzir custos financeiros, tributários e burocráticos. O problema é que, às vezes, realizamos um grande esforço para reduzir custos em 10%, e há países com vantagens de 40% por causa do câmbio. "
Ele também afirmou que os EUA têm sido favorecidos pelo dólar mais fraco, mas o Federal Reserve (Fed, banco central americano) não pode manter os juros perto de zero " para o resto da vida " . Segundo Mantega, há nações que se favorecem ao estabelecer artificialmente uma taxa de câmbio. " Se no Brasil fosse assim, seríamos imbatíveis. "
Mantega afirmou que tem levado essa discussão ao G-20 e tem exigido uma decisão conjunta dos governos quanto aos regimes de moedas. " Precisamos de um novo Bretton Woods " , resumiu o ministro, citando a reunião dos anos 1940 que definiu uma ordem global para a paridade das moedas pelos 20 anos seguintes.

(Karin Sato | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host