UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/03/2010 - 11h42

Varejo é integralmente atendido na oferta da BR Properties

SÃO PAULO - O investidor de varejo que tomou parte na oferta primária e secundária da BR Properties, que atua no setor imobiliário comercial, teve seu pedido de reserva completamente atendido, ou seja, levou tudo o que pediu. As pessoas vinculadas, grupo que reúne administradores e controladores da companhia e das instituições participantes, foram incluídas na oferta.

Os papéis estão disponíveis à negociação a partir de segunda-feira, dia 8 de março, sob o código BRPR3. Vale lembrar que a BR Properties é registrada como companhia aberta desde 4 de janeiro de 2006, mas desde então não existia negociação de suas ações.

O preço de emissão do papel foi fixado em R$ 13,00, abaixo da faixa estimativa que ia de R$ 14,00 a R$ 18,00.

A esse preço, a oferta primária e secundária de 71,876 milhões de ações ordinárias movimentou R$ 934 milhões. Já está registrado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) o exercício do lote suplementar, que pode ser vendido nos próximos 30 dias para atender a eventual excesso de demanda. Com isso, o valor da distribuição sobe a R$ 1,07 bilhão. A opção por lote adicional de 20% não foi exercida.

Com a venda de novas ações (oferta primária), a empresa levantou R$ 747 milhões, dinheiro que será utilizado na compra de imóveis comerciais e/ou empresas para seu portfólio.

" Estamos em negociações avançadas para aquisição de diversos imóveis. Entretanto, ainda não temos uma posição definida sobre quais ativos de fato iremos adquirir e nem quanto tempo tais negociações levarão para serem finalizadas " , disse a companhia no prospecto.

Outros R$ 186 milhões serão divididos entre os acionistas vendedores, grupo formado por uma série de fundos da GP Investments, Lehman Brothers, Joseph Safra, Grupo Tudor, Grupo William Pears, Dynamo, Etoile, Orsay, UBS, Osprey, entre outros.

O fundo soberano de Cingapura, o Temasek, também vende ações indiretamente na oferta. Completando o grupo de vendedores, estão Cláudio Bruni, diretor-presidente, João Roberto Marinho e José Roberto Marinho.

Levando em conta apenas a colocação inicial, a companhia apresentará um volume de ações em circulação no mercado de 51,6% do capital. Se as ações do lote suplementar forem colocadas, o " free float " vai a 57,2%. Ao preço de R$ 13 por ação, o valor de mercado da BR Properties é de R$ 1,80 bilhão, sem considerar lotes suplementar.

A companhia que compra, vende, aluga e administra imóveis comerciais, como prédios de escritório e galpões, fechou 2009 com lucro líquido de R$ 29 milhões, revertendo prejuízo de R$ 1,5 milhão registrado um ano antes. A receita líquida somou R$ 117 milhões no ano passado, avançando 35% sobre 2008.

A BR Properties começou a atuar em abril de 2007 e atualmente possui 46 imóveis, localizados principalmente nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Belo Horizonte, que em conjunto, totalizam 646.055 metros quadrados de Área Bruta Locável (ABL).

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host