UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/03/2010 - 19h06

Velloso e Bresser-Pereira defendem necessidade de ajuste fiscal

SÃO PAULO - A taxa de crescimento do PIB potencial do Brasil tende a ficar até 1 ponto abaixo da média de 4,5% prevista pelo governo e analistas para os próximos anos. Para evitar esse quadro, o futuro governo teria que fazer um ajuste fiscal para conter os gastos corrente, avalia Raul Velloso, especialista em contas públicas e sócio-diretor ARD Consultores Associados.

"O crescimento incessante das despesas por parte do governo cria um excesso de demanda e amplia o risco de quebra de solvência da economia. Isso levará o Banco Central a elevar a taxa básica de juros da economia (Selic)", afirmou.

Neste ano, no entanto, ele prevê um PIB potencial de 4,5%. O resultado seria reflexo, em grande medida, de investimentos que ficaram entre 18% e 19% do PIB. O ex-ministro da Fazenda Luiz Carlos Bresser-Pereira acredita que o país passará um ciclo virtuoso nos próximos anos. Mas, para crescer mais, teria de fazer um ajuste fiscal e também cambial. Segundo ele, o país comete um erro ao tentar crescer com poupança externa.

Porém, Bresser-Pereira está otimista e não descarta a possibilidade de os dois principais pré-candidatos à Presidência, José Serra e Dilma Rousseff, promoverem, se eleitos, um ajuste nas contas do governo. "Meu candidato é o Serra, mas torço para que o vitorioso nas eleições faça o que é necessário." (Fernando Taquari | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host