UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/03/2010 - 18h11

Mulheres são maioria em dois dos três grupos mais ricos, diz Serasa

SÃO PAULO - As mulheres são maioria em dois dos três grupos mais abastados da população, que possuem alto poder de compra e ampla atividade de crédito, revelou uma pesquisa da Serasa sobre segmentação de mercado.

O estudo classifica a população em dez grupos e 39 subgrupos (segmentos). De acordo com a Serasa, para construir cada segmento, foram utilizadas 440 variáveis, levando em conta renda, geografia, demografia, padrões comportamentais e estilo de vida.

No topo da pirâmide, estão os grupos Ricos, Sofisticados e Influentes e Prósperos Moradores Urbanos, nos quais as mulheres somam 4,9 milhões, contra 4,7 milhões de homens. O primeiro grupo é composto de pessoas, em sua maioria, com idades entre 46 e 60 anos, sem filhos, com alto nível de escolaridade e carreira de sucesso. Já o grupo Prósperos Moradores Urbanos é formado por quatro subcategorias: Empregos Estáveis (pessoas com boa formação educacional, empregos estáveis e boa renda, poucos dependentes e que residem há muito tempo no mesmo local); Aposentadoria dos Sonhos (aposentados com ótima situação financeira, baixa atividade de crédito e moradores de áreas urbanas nobres); Vida Contemporânea (solteiros ou divorciados com carreira em empresas do setor de serviços ou da administração pública e consumidores de marcas de luxo); e Prósperos e Tradicionais (empregados do setor privado, com renda alta e vida familiar).

Para a professora e doutora em Sociologia, Cristina Panella, que participou do estudo, a presença das mulheres em altos cargos segue uma curva ascendente, uma vez que a entrada delas no mercado de trabalho teve início na década de 60. "Os salários ainda são diferentes, mas rumamos para a equiparação", analisa. As mulheres são maioria também em três dos quatro subgrupos que compõem o grupo Assalariados Urbanos, terceira classe mais alta da pirâmide. Por exemplo, no subgrupo Jovens Promissores, formado por pessoas com até 30 anos, geralmente solteiros e que investem na carreira, as mulheres são 57%.

Por fim, elas lideram também entre os segmentos que apostam na educação, em busca de ascensão social. No subgrupo Profissionais em Ascensão Social, que engloba um universo de 2,83 milhões de pessoas, a população feminina chega a 55% do total. São pessoas entre 26 e 40 anos, que vivem longe dos melhores bairros das grandes cidades, mas buscam um novo patamar social por meio da dedicação ao trabalho e aos estudos.

Já no segmento Jovens em Busca de Oportunidades, a participação feminina é de 60%. Este subgrupo conta com 4,53 milhões de pessoas com idades entre 20 e 35 anos, que moram sozinhas ou com a família em periferias e visam à melhoria do poder de compra, por meio do trabalho e do estudo. (Karin Sato | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host