UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/03/2010 - 16h20

Bovespa acompanha mercado externo e opera em baixa

SÃO PAULO - Depois de dois pregões positivos, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acompanha o desempenho das bolsas europeias e americanas e opera em baixa nos negócios desta quinta-feira, em uma sessão marcada pela volatilidade.

Há pouco, o Ibovespa, principal índice do mercado acionário brasileiro, recuava 0,44%, a 69.670 pontos, com giro financeiro de R$ 4,057 bilhões. O índice futuro, com vencimento em abril, caía 0,82%, a 70.070 pontos.

O operador da Um Investimentos, Paulo Hegg, observa que os indicadores divulgados na Ásia não foram bem recebidos pelos agentes, que estão atentos à possibilidade de adoção de novas medidas de aperto monetário pelo governo chinês.

O Departamento Nacional de Estatísticas da China revelou que o índice de preços ao consumidor subiu 2,7% em fevereiro, na comparação anual. Na mesma base de comparação, o índice de preços ao produtor no país registrou elevação de 5,4%. O resultado ficou acima da marca de janeiro, de 4,3%, e da leitura de dezembro de 2009, de 1,7%.

Nos Estados Unidos, o Departamento do Trabalho divulgou que os novos pedidos de seguro-desemprego somaram 462 mil na semana encerrada em 6 de março, com queda de 6 mil em relação à leitura anterior, de 468 mil.

"Os dados de inflação vieram acima do esperado na China e os números de pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos também foram piores que o previsto. O cenário é de realização", comentou Hegg.

Entre os destaques de baixa do Ibovespa, estão as units da ALL, com baixa de 3,01%, a R$ 16,38, os papéis PN da Ultrapar, com queda de 2,57%, a R$ 85,20, e os da Duratex, com perdas de 2,59%, a R$ 16,90.

No rumo oposto, destacam-se entre as maiores valorizações do índice as ações ON da OGX Petróleo, que divulga o balanço de 2009 após o fechamento do pregão, com apreciação de 4,58%, a R$ 17,79.

Os papéis da empresa estão sendo impulsionados pela notícia de que a petrolífera britânica BP pagará US$ 7 bilhões à americana Devon Energy por um conjunto de ativos que lhe permitirá atuar na exploração de petróleo nas reservas da costa brasileira e do pré-sal, e ampliar sua presença no Golfo do México.

Agentes de mercado estão atentos aos rumores de que, com a entrada da BP nessa área de atuação, a OGX poderia vender algum de seus ativos à estrangeira por um bom preço.

Entre as blue chips, destaque de baixa para as ações PNA da Vale, que recuavam, há instantes, 1,59%, a R$ 46,31, e para os da BM & FBovespa, com perdas de 1,16%, a R$ 11,85.

Os papéis PN da Petrobras registram o maior volume negociado, com R$ 574,1 milhões, em meio à queda de 0,02%, a R$ 36,99.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host