UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/03/2010 - 15h23

Fundos de Bônus Emergentes levantaram mais de US$ 5 bilhões no ano

SÃO PAULO - Os mercados emergentes continuam atraindo recursos dos investidores globais. Mas não é preferencialmente via mercado de ações que os gestores estão buscando exposição às economias que mais crescem no mundo. As apostas tem sido crescente nos Fundos de Bônus Emergentes. Segundo a consultoria EPFR Global, essa categoria levantou mais de US$ 1 bilhão na semana encerrada dia 10 de março, melhor captação dos últimos 10 anos, e no acumulado de 2010 já captou US$ 5 bilhões.

No mesmo período, os Fundos de Ações de Mercados Emergentes também ganharam recursos, mas o saldo estimado do ano é de cerca de US$ 3 bilhões.

A demanda por renda fixa não é exclusividade dos emergentes. Pela segunda semana seguida, os dados da EPFR mostram que os fundos de bônus se apresentam como principal destino dos mais de US$ 194 bilhões que os agentes sacaram dos "money market funds" - de baixo risco e pouco retorno- durante 2010.

No cômputo geral da semana, todos os fundos de bônus levantaram US$ 6,51 bilhões, elevando o saldo do ano para US$ 47,7 bilhões. Enquanto isso, todas as carteiras de ações acompanhadas captaram US$ 2,74 bilhões na semana, mas ainda tem saldo negativo de US$ 8,8 bilhões no acumulado de 2010.

Voltando atenção às carteiras de ações, todas as grandes categorias emergentes receberam algum dinheiro na semana no dia 10. Segundo a EPFR Global, os gestores começam a mostrar mais otimismo com relação ao preço das commodities e exportações.

Entre as carteiras regionais, os Fundos de Ações da China receberam aportes depois de um longo período de saques, conforme os agentes se mostram menos preocupados com a possibilidade de novas restrições monetárias.

Voltando o foco para os mercados desenvolvidos, os Fundos de Ações da Europa foram alvo de saques pela quarta semana consecutiva. Na semana no dia 10, US$ 502 milhões foram buscar rendimentos em outros mercados. A baixa perspectiva de crescimento continua tirando atratividade da região.

Os Fundos de Ação do Japão seguem firmes na captação de recursos. Já são 11 semanas seguidas com saldo positivo. Os investidores mantêm o otimismo com o ciclo de recuperação e a sinalização de política monetária expansiva por um longo período.

E pela primeira vez desde o terceiro trimestre de 2008 os Fundos de Ações dos EUA completaram quatro semanas seguidas sem perder dinheiro. Os subgrupos pequenas e médias empresas concentraram o recebimento de dinheiro.

Entre os fundos setoriais, o destaque ficou com o grupo Bens de Consumo, que levantou US$ 1,76 bilhão na semana. Já as carteiras de Finanças perderam US$ 364 milhões, mostrando preocupação dos agentes com a exposição de seguradoras ao Chile.

Apesar da valorização no preço do petróleo, que ronda os US$ 80 o barril de WTI, os setoriais de Energia perderam US$ 113 milhões. Já o grupo Commodities ganhou algum dinheiro, mas continua com saldo negativo no ano.

De caráter mais defensivo, os fundos de Tecnologia e Saúde/Biotecnologia ganharam US$ 179 milhões e US$ 247 milhões, respectivamente.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host