UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/03/2010 - 14h59

Lufthansa estuda retomar voo direto para o Rio devido à forte demanda

RIO - O forte aumento da demanda por parte de passageiros do Rio de Janeiro faz a Lufthansa estudar a possibilidade de retomar os voos a partir da capital fluminense, encerrados em 2005.
Atualmente, a Lufthansa tem dois voos a partir do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, um seguindo diariamente para Frankfurt e outro cinco vezes por semana para Munique. Com a Swiss, controlada pela empresa alemã, há também frequências diárias entre Guarulhos e Zurique.

No ano passado, o Rio respondeu por cerca de um terço dos passageiros embarcados pela companhia a partir do Brasil. O volume de passagens vendidas no Rio de Janeiro para os três voos do grupo a partir do Brasil cresceu 26% na comparação com 2008.
A classe econômica contribuiu com um crescimento de 33%, enquanto o setor premium, que une a primeira classe e a executiva, subiu 10%.
A maior parte dos passageiros que compraram bilhetes no Rio viajou ano passado a lazer, enquanto apenas 40% embarcaram a negócios. Apesar de ter a menor fatia, o volume de viagens de negócios subiu 48%.

"Está em estudo voltar para o Rio de Janeiro e as chances são boas", ressaltou Albena Janssen, diretora de vendas e marketing da Lufthansa para o Brasil, que fez questão de frisar que ainda não há uma decisão final sobre a possível volta dos voos diretos para o Galeão.
"Para o brasileiro, está mais barato viajar para o exterior e não acho que (esse crescimento) seja algo pontual", acrescentou.

Para 2010, a empresa alemã espera começar a colher mais frutos do acordo de compartilhamento (code share) com a TAM, que a partir de 13 de maio entra para a Star Alliance, maior aliança de companhias aéreas do mundo.
O acordo de code share já permite que os clientes da Lufthansa embarquem em diversas capitais em aviões da TAM para conexão em Guarulhos, onde embarcam nas aeronaves da Lufthansa ou da Swiss.
Com a entrada da brasileira da Star Alliance, a expectativa é de que até o fim do ano já seja possível utilizar o code share a partir de todas as capitais brasileiras onde a TAM opera.

Globalmente, o grupo Lufthansa fechou 2009 com 55,5 milhões de passageiros. Apesar de não abrir o volume de passageiros no Brasil, Janssen confirmou que o crescimento na América Latina ficou acima da média de outros continentes, com destaque especial para o mercado brasileiro.

A frota atual da Lufthansa é de 549 aeronaves, sendo 19 jatos da Embraer. Até 2011, o grupo espera receber mais 170 aparelhos, sendo 17 da Embraer e 15 Airbus A380, o maior avião de passageiros do mundo.
Nos voos a partir do Brasil, a empresa usa o Boeing 747-400 para voar até Frankfurt e o Airbus A340-300 para os destinos de Munique e de Zurique, este último operado pela Swiss.

Apesar de operar o terminal 2 do aeroporto de Munique, construído pela empresa e em operação desde 2000, a companhia acha prematuro falar na possibilidade de uma participação em projetos de concessão de terminais no Brasil.

"Somos um usuário espectador", disse Janssen, acrescentando que em Munique o grande volume de operações do grupo Lufthansa justifica a operação de um terminal no local.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host