UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/03/2010 - 14h56

Maioria dos brasileiros pretende votar em candidato apoiado por Lula

SÃO PAULO - Mais da metade dos brasileiros (53%) pretende votar nas eleições deste ano em um candidato apoiado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apontou a pesquisa CNI/Ibope divulgada hoje.

Apesar disso, ainda é expressivo o percentual de eleitores (42%) que desconhecem que a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, será a candidata governista para a sucessão de Lula. "O levantamento revela o elevado patrimônio eleitoral do presidente. Ao mesmo tempo, mostra uma quantidade significativa de eleitores que não sabem que Lula apoia Dilma", analisou Rafael Lucchesi, diretor de operações da CNI. "De qualquer maneira, a superexposição da ministra na mídia nos últimos meses a tornou mais conhecida e reduziu o número de eleitores que declaravam que não votariam nela para presidente de jeito nenhum. O índice caiu de 41%, em dezembro de 2009, para 27% agora", acrescentou.

O governador paulista, José Serra (PSDB), é o pré-candidato com o menor grau de rejeição (25%) entre os postulantes ao cargo.

Para Lucchesi, o fato de Dilma ter ficado mais conhecida do eleitorado foi determinante para sua escalada nas pesquisas. A vantagem de Serra, que no levantamento anterior era de 21 pontos percentuais, caiu para apenas cinco pontos percentuais. O tucano permanece na liderança, com 35% das intenções de voto, enquanto a ministra está com 30%. "Pesquisas são uma fotografia do momento. Dilma está mais exposta. Por isso teve um arrancada. Por outro lado, podemos dizer que Serra continua estável, uma vez que oscilou três pontos percentuais abaixo do registrado na rodada passada", observou o diretor da CNI, lembrando que a margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou menos. Em terceiro lugar aparece o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), com 11% das preferências, mas numa trajetória de queda contínua, já que desde a primeira pesquisa ele perdeu seis pontos percentuais. Na lanterna está a senadora Marina Silva (PV-AC), que se manteve estável em relação à taxa anterior, com 6% das intenções de voto. Segundo Lucchessi, o resultado de Marina está diretamente relacionado ao fato dela ainda ser pouco conhecida pelos brasileiros (23%), o que a torna automaticamente a candidato com o maior índice de rejeição (31%). "Nesta fase, na qual as campanhas ainda não começaram, a probabilidade de voto está muito mais associada ao conhecimento do candidato pelo eleitor", explicou.

O levantamento ainda avaliou um cenário com o governador mineiro Aécio Neves no lugar de Serra. Neste caso, Dilma totaliza 34% das preferências contra 21% de Ciro. O tucano surge apenas em terceiro, com 13%. Sem o deputado do PSB, a diferença entre Serra e a ministra fica em cinco pontos percentuais, 38% a 33%. Na última lista, a petista dispara com 39% das intenções de voto, seguida por Aécio, com 18%.

Num eventual segundo turno, Serra venceria a corrida ao Palácio do Planalto em todos os cenários. Com Dilma, ele soma 44% das preferências contra 39%. A ministra, por sua vez, ganha dos demais adversários quando o governador paulista não participa das eleições presidenciais. A pesquisa também captou a intenção de voto dos brasileiros por região. O tucano lidera com folga no Norte/ Centro-Oeste e Sudeste e fica tecnicamente empatado com a ministra no Sul, que abre 14 pontos percentuais sobre o adversário no Nordeste. A pesquisa CNI/Ibope ouviu 2.002 pessoas em 140 municípios entre os dias 6 e 10 de março.

(Fernando Taquari | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host