UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/03/2010 - 20h32

Cemig construirá gasoduto para viabilizar fábrica de amônia em Uberaba

RIO - O governo de Minas Gerais acenou com a possibilidade de construção de um gasoduto, pela Cemig, para viabilizar a instalação de uma unidade de produção de amônia em Uberaba. A obra, de 240 quilômetros, ligaria São Carlos, em São Paulo, à cidade mineira, a um custo estimado entre R$ 500 milhões e R$ 550 milhões.

A planta de produção de amônia em Minas era um dos empreendimentos analisados pela Petrobras na área de fertilizantes, mas tinha poucas chances de virar realidade por conta da impossibilidade de levar o gás natural, insumo para a produção, até a região do Triângulo Mineiro.
A solução foi dada pelo governador mineiro, Aécio Neves (PSDB), que participou de uma audiência com o presidente da estatal, José Sergio Gabrielli, apoiado pelo vice-presidente da República, José Alencar, que também é mineiro.

Gabrielli destacou que a possibilidade de implementar o projeto em Minas Gerais será analisada amanhã na reunião do Conselho de Administração da companhia, juntamente com outros projetos na área de fertilizantes.

A estatal tem propostas para construção de uma unidade produtora de sulfato de amônia em Sergipe, de uma planta de ureia na cidade matogrossensse de Três Lagoas e de um complexo químico na capixaba Linhares.

" O grande problema da planta de amônia era o transporte do gás e governo do governador Aécio, através da Cemig, se propõe a fazer o gasoduto. Cabe agora aprofundar esse estudo em condições de igualdade, e paralelamente aos outros estudos, para analisar o custo desse transporte, porque o custo do transporte do gás é um elemento muito importante na viabilização dessa planta " , disse Gabrielli.

Ele também confirmou que o Conselho de Administração da companhia também vai discutir o Plano de Negócios 2010-2014 amanhã.

O governador mineiro ressaltou que Cemig e Petrobras montarão um grupo de trabalho para analisar a viabilidade do gasoduto.

Segundo Aécio, ainda não há previsão para o fim da obra, mas o objetivo é que o gasoduto forneça gás para Uberaba antes mesmo da construção da fábrica de amônia. Posteriormente, o objetivo é estender o gasoduto até Uberlândia.

"Saio daqui otimista. Caberá ao Conselho tomar essa decisão. Se a questão fundamental era ausência de gás, estamos em condições de levar esse gás", disse Aécio.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host