UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/03/2010 - 12h21

Dados americanos e tensões com a Grécia dominam foco dos investidores

SÃO PAULO - De olho no desempenho do mercado externo, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com volatilidade na primeira parte dos negócios desta quinta-feira.

Por volta das 12h15, o Ibovespa subia 0,06%, aos 69.763 pontos, com giro financeiro de R$ 1,857 bilhão. Já o índice futuro caía 0,13%, aos 70.125 pontos, Os investidores internacionais estão atentos aos indicadores positivos divulgados no cenário americano, que contrastam com novas preocupações em relação à situação fiscal grega.

Em Wall Street, as bolsas começam a firmar posição. Há pouco, o índice Dow Jones tinha elevação de 0,32%, enquanto o Nasdaq se apreciava em 0,18% e o S & P 500 aumentava 0,03%. Na Europa, o mercado acionário opera sem direção definida.

Pela manhã, o Departamento do Trabalho divulgou que o índice de preços ao consumidor americano registrou variação nula em fevereiro, depois de acréscimo de 0,2% na abertura do ano. Sem alimentos e energia, itens considerados voláteis, o índice subiu 0,1%, invertendo a direção tomada em janeiro, de queda de 0,1%.

Além disso, a instituição revelou que os novos pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos ficaram em 457 mil na semana terminada em 13 de março, um declínio de 5 mil requerimentos em relação à marca antecedente, de 462 mil.

Já o instituto Conference Board apontou que o índice dos indicadores antecedentes dos Estados Unidos teve alta de 0,1% no mês passado, seguindo elevação de 0,3% em janeiro. O indicador sugere a direção da economia nos próximos três meses a seis meses.

Por fim, a unidade do Federal Reserve (Fed, banco central americano) da Filadélfia (EUA) mostrou que a atividade do setor manufatureiro continua melhorando.

O indicador que mede as condições do segmento manufatureiro saiu de 17,6 em fevereiro para 18,9 em março. O índice está acima de zero, que sugere crescimento, há sete meses. As expectativas apontavam uma alta para 17,8.

Já no continente europeu, as tensões sobre a Grécia voltam ao foco. O premiê grego George Papandreou repetiu nesta quinta-feira que Atenas pode recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI) se os europeus não concordaram em ajudar o país no encontro que acontece na próxima semana.

Ao comparecer no Parlamento Europeu, o primeiro-ministro insistiu que não quer dinheiro de seus sócios europeus, mas que os representantes da União Europeia aprovem um pacote de possíveis empréstimos na reunião que acontecerá na semana que vem.

Ontem, a chanceler alemã Angela Merkel defendeu a criação de um novo mecanismo que possibilite a exclusão de um integrante da zona do euro, se isso for necessário para evitar uma crise.

"A princípio, o mercado brasileiro está mais voltado para Nova York. O noticiário foi relativamente bom, em termos de agenda, mas a Grécia volta a segurar (o otimismo) novamente", comentou o gerente de pesquisa da Planner Corretora, Ricardo Tadeu Martins.

Dentro do Ibovespa, entre as " blue chips " , as ações PN da Petrobras subiam 0,02%, há pouco, a R$ 37,16, enquanto os papéis PNA da Vale recuavam 0,18%, a R$ 47,56.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host