UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/03/2010 - 14h49

Bovespa acompanha mercado externo e opera em baixa

SÃO PAULO - A alta apresentada pelos papéis da Petrobras não está sendo suficiente para manter a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) no campo positivo. Más notícias do cenário externo pesam sobre o mercado acionário e trazem cautela para os investidores.

Por volta das 14h50, o Ibovespa registrava perda de 0,51%, aos 69.031 pontos, com giro financeiro de R$ 3,612 bilhões.

Do lado negativo, seguem repercutindo no mercado o rebaixamento da dívida soberana de Portugal pela Fitch Ratings e um indicador mais fraco que o imaginado relativo ao setor imobiliário americano.

De acordo com o Departamento do Comércio, as vendas de moradias novas nos Estados Unidos diminuíram 2,2% no mês passado, para uma taxa anualizada de 308 mil unidades. Em janeiro, a marca registrada foi de 315 mil unidades, após revisão. O indicador também ficou abaixo do nível verificado em fevereiro de 2009, em 13%.

A Grécia, naturalmente, segue no foco. Lorenzo Bini Smaghi, integrante do comitê executivo do Banco Central Europeu (BCE), afirmou hoje, em entrevista ao jornal "Die Zeit", que o custo da inação pode ser maior do que oferecer ajuda temporária à Grécia.

A observação seria uma mensagem enviada à chanceler alemã Angela Merkel, que tem resistido à ideia de um plano de ajuda aos gregos. "Se a Grécia cair, Alemanha e outros líderes europeus vão acabar pagando mais do que se tivessem dado apoio financeiro de forma temporária", sustentou.

Ainda na Europa, o governo britânico cortou suas estimativas de déficit e anunciou um único pacote para a economia, de 2,5 bilhões de libras (US$ 3,7 bilhões), como o ponto principal do seu orçamento anual - o último antes da eleição nacional antecipada.

Em Londres, o FTSE-100 encerrou a sessão com alta de 0,01%, enquanto o CAC-40, de Paris, caiu 0,01%. Já o DAX, de Frankfurt, avançou 0,36%.

Já em Wall Street, os índices operam em baixa. Enquanto o Dow Jones recua 0,41%, o Nasdaq se deprecia em 0,55% e o S & P 500 cai 0,48%.

No cenário corporativo doméstico, os papéis PN da Petrobras subiam, há pouco, 0,69%, a R$ 36,07, enquanto as ações PNA da Vale recuavam 0,10%, a R$ 48,50.

Entre as maiores altas do Ibovespa, se mantêm os papéis ON da Gafisa, com ganhos de 2,54%, a R$ 12,87, e os ON da Redecard, com valorização de 2,53%, a R$ 31,17.

No sentido contrário, figuram os papéis ON da Cosan, com baixa de 3,34%, a R$ 22,23, e os PN da Net, com recuo de 3,27%, a R$ 22,76.

Fora do índice, destaque para os papéis da Telebrás. Em meio a notícias dando conta que o Tesouro Nacional condena a reativação da estatal para ser a gestora do PNBL (Programa Nacional de Banda Larga), os papéis operam em forte baixa.

Há pouco, enquanto os papéis PN da empresa cediam 13,01%, a R$ 1,47, os ON despencavam 12,34%, a R$ 1,42.

O fluxo estrangeiro na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está positivo em R$ 1,62 bilhão no acumulado do mês até o dia 22, resultado de compras no valor de R$ 27,979 bilhões e de vendas de R$ 26,358 bilhões. Apenas na segunda-feira, o estrangeiro retirou R$ 165,8 milhões do mercado.

No ano, o resultado da atuação do investidor estrangeiro na bolsa brasileira está negativo em R$ 1,733 bilhão.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host