UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/03/2010 - 12h32

Bovespa está volátil, com alta das "blue chips" e dados externos ruins

SÃO PAULO - O mercado acionário brasileiro opera com grande volatilidade no pregão desta quarta-feira. Se, por um lado, notícias ruins da Europa e dos Estados Unidos pesaram contra as bolsas, um desempenho positivo das "blue chips" levou a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) a registrar máxima de 69.677 pontos. Por volta das 12h25, o Ibovespa recuava 0,11%, aos 69.312 pontos, e movimentava R$ 2,231 bilhões.

Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones recuava 0,57% instantes atrás, enquanto o Nasdaq tinha desvalorização de 0,73% e o S & P 500 perdia 0,61%.

Além do rebaixamento da dívida soberana de Portugal pela Fitch Ratings, influenciava o mercado um resultado ruim do setor imobiliário americano.

De acordo com o Departamento do Comércio, as vendas de moradias novas nos Estados Unidos diminuíram 2,2% no mês passado, para uma taxa anualizada de 308 mil unidades. Em janeiro, a marca registrada foi de 315 mil unidades, após revisão. O indicador também ficou abaixo do nível verificado em fevereiro de 2009, em 13%.

Já o Departamento de Energia informou que os estoques de petróleo cru dos Estados Unidos aumentaram em 7,3 milhões de barris na semana passada, para 351,3 milhões de barris, depois de ficarem em 344 milhões de barris uma semana antes.

A pesquisa, entretanto, mostrou queda nas reservas de gasolina e de destilados no mesmo intervalo, de 2,7 milhões de barris e de 2,4 milhões de barris, respectivamente, para 224,6 milhões de barris e 145,7 milhões de barris.

No cenário doméstico, a baixa dos preços das commodities não tirava o ânimo dos investidores com as "blue chips". Enquanto os papéis PNA da Vale subiam 0,06% minutos atrás, a R$ 48,58, com volume de R$ 219,2 milhões, as ações PN da Petrobras avançavam 1,11%, a R$ 36,22, com giro de R$ 362 milhões.

Na noite de ontem, a Petrobras informou que os testes realizados na área de Tupi comprovaram " altíssima produtividade " dos reservatórios do pré-sal. Conforme a estatal, foram medidas vazões da ordem de 5 mil barris por dia de óleo leve, de cerca de 28 graus API, limitadas à capacidade de vazão dos equipamentos de teste. O potencial de produção do poço 3-RJS-662A (3-BRSA-755A-RJS) foi estimado em cerca de 30 mil barris de óleo por dia.

A Vale, assim como outras empresas do setor, seguia com um desempenho favorável, reagindo a um reajuste do preço de minério maior que o esperado pelo mercado.

Além dos papéis da Petrobras, figuravam entre as maiores altas do Ibovespa as ações ON da Gafisa, com valorização de 3,18%, a R$ 12,95, e os papéis ON da Redecard, com ganhos de 2,20%, a R$ 31,07.

A Gafisa conseguiu captar R$ 1,062 bilhão em sua oferta primária de ações. Os papéis foram emitidos ao preço de R$ 12,50 cada. Ao todo, foram emitidas 85 milhões de ações ordinárias, o que mostra que a companhia conseguiu colocar, quase integralmente, o lote suplementar da operação, de 15%. A emissão inicial era de 74 milhões de ações.

No sentido contrário, destaque de baixa para os papéis ON da Cosan, com recuo de 2,17%, a R$ 22,50, para as ações PN da Ultrapar, com perda de 1,99%, a R$ 83,70, e para os papéis PN da NET, com desvalorização de 1,91%, a R$ 23,08.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host