UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/03/2010 - 12h00

DIs mostram agentes na defensiva, à espera da ata do Copom

SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros oscilam próximos da estabilidade, com uma leve inclinação entre os vencimentos até janeiro de 2012. Na visão do sócio-gestor da Leme Investimentos, Paulo Petrassi, o mercado está na defensiva enquanto aguarda a ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que será apresentada amanhã.

Segundo Petrassi, o documento deve vir com um tom mais duro em relação aos comentários sobre inflação e atividade, mas deve ajudar o mercado a fechar um maior consenso sobre o tamanho da alta a ser implementada na taxa básica de juros na reunião de abril.

De acordo com o gestor, a precificação embutida nos juros curtos está no meio do caminho, entre um aperto de 0,5 ponto ou 0,75 ponto. Já os longos estão mais pressionados. " Esses agentes que estão muito pessimistas devem errar novamente " , pondera Petrassi, que trabalha com ajuste de meio ponto percentual.

Na visão do especialista, a autoridade monetária já teria " abandonado " a inflação de 2010 e trabalha agora mirando a ancoragem das expectativas para 2011.

Outra incerteza que ainda ronda o próximo encontro do Copom é se haverá ou não mudanças na composição do colegiado, como a saída de Henrique Meirelles e de alguns diretores.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro para abril marcava estabilidade a 8,62%. Julho de 2010 aumentava 0,01 ponto, marcando 9,13%. Janeiro de 2011 apontava 10,29%, também ganho de 0,01 ponto.

Já entre os vencimentos mais longos, janeiro de 2012 subia 0,01 ponto, a 11,66%. Janeiro 2013 recuava 0,01 ponto, a 12,07%. Janeiro 2014 não tinha variação, a 12,17%.

Na gestão do dívida pública, o Tesouro promove leilão de troca de Notas do Tesouro Nacional Série F (NTN-F).

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host