UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/03/2010 - 17h48

Dados controversos dos EUA levam petróleo a fechar quase estável

SÃO PAULO - Os preços do petróleo fecharam de lado em Nova York com base em dados controversos da economia dos Estados Unidos. Em Londres, a commodity mostrou pequena alta.

O contrato do WTI com vencimento em maio fechou a US$ 105,60, com queda de US$ 0,15, enquanto o ativo para junho recuou US$ 0,10, para US$ 106,11.

Já em Londres, o Brent para maio teve pequeno avanço, de US$ 0,17 e fechou o dia a US$ 115,72. O vencimento de junho subiu US$ 0,13, para US$ 115,60.

A queda de 0,9% em novas encomendas de bens duráveis em fevereiro nos EUA, a quarta dos últimos cinco meses, é um sinal de gastos contidos, interpretado pelo mercado como um prenúncio de demanda menor por petróleo.

No sentido contrário, o Departamento de Trabalho divulgou uma queda de 5 mil no número de pedidos de seguro-desemprego na semana encerrada no dia 19. Na média das quatro últimas semanas, houve pequeno recuo de 1,5 mil solicitações.

Os dados internos foram o foco dos investidores no dia, mas a continuidade do combate líbio e a intensificação dos enfrentamentos no Iêmen mantêm as incertezas sobre a oferta de petróleo.
Segundo a agência oficial de estatísticas de energia dos EUA (EIA), o Iêmen produz apenas 0,3% do petróleo consumido no mundo, mas o país está localizado em uma rota marítima de grande importância estratégica.
Cerca de 3,2 milhões de barris passam por dia por um estreito que liga o Mar Vermelho ao Golfo de Aden, nas proximidades do Iêmen. Interrupções na navegação, segundo a Eia, forçariam os petroleiros a fazer um desvio caro em torno da ponta sul da África para alcançar os mercados ocidentais.

(Luciana Seabra | Valor, com agências internacionais)
Hospedagem: UOL Host