UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/03/2010 - 10h25

Desocupação é a menor para fevereiro em todas regiões, diz IBGE

RIO - A taxa de desemprego em fevereiro foi a menor para o segundo mês do ano em todas as seis regiões metropolitanas analisadas pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O menor patamar foi observado em Porto Alegre, com 5,1% de taxa de desocupação. No total das seis regiões metropolitanas, a taxa de desocupação foi de 7,4%, também a menor para um mês de fevereiro na história da atual série, iniciada em março de 2002. De acordo com o gerente da PME, Cimar Azeredo, a grande expectativa para o mês de março é em relação ao comportamento da taxa de desocupação no Rio de Janeiro, que atingiu 5,6% em fevereiro. O Rio, segundo Azeredo, demora mais a registrar a subida do desemprego depois das festas de fim de ano uma vez que as contratações temporárias são mantidas na capital fluminense por conta das férias e do Carnaval. O funcionário do IBGE explicou que o resultado de março, caso mostre a inflexão da curva de desocupação, com a redução do desemprego, pode apontar para boas expectativas ao longo de 2010, enquanto uma alta significativa pode acender o sinal amarelo. Por enquanto, os números de fevereiro mostram bons sinais, com taxas próximas do mínimo histórico em algumas regiões metropolitanas. " Estamos em outro patamar de desocupação. Rio e Porto Alegre apresentam taxas semelhantes ao mercado americano antes da crise " , frisou Azeredo. " O patamar da desocupação está menor e, além disso, o mercado está absorvendo a mão de obra temporária, ao menos por enquanto " , acrescentou. O técnico do IBGE destacou ainda que houve, no mês passado, a criação de 725.051 vagas no mercado da seis regiões metropolitanas, na comparação com igual mês do ano passado, o que representa uma alta de 3,5%. O número representa o melhor resultado para um mês de fevereiro neste tipo de relação desde o início da série histórica, superando o recorde anterior, de 637.411 vagas novas em fevereiro de 2008.

Outro destaque positivo foi a criação de empregos formais, que subiu 6,4% na comparação com fevereiro do ano passado, o que significou a 598 mil vagas a mais com carteira assinada nas seis regiões metropolitanas. O resultado é recorde tanto na variação absoluta, quanto no crescimento percentual para um mês de fevereiro. " O percentual forte que entrou no mercado de trabalho foi de emprego com carteira. Uma parte expressiva das 725 mil vagas criadas foi de emprego com carteira " , ressaltou Azeredo, lembrando que em fevereiro, pelo segundo mês seguido, as regiões metropolitanas de Salvador e Recife registraram mais de 40% da população ocupada com carteira assinada no setor privado.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host