UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/03/2010 - 09h45

Após duas quedas seguidas, Bovespa deve abrir negócios em alta

SÃO PAULO - Passados dois dias de perdas do Ibovespa, ambas de 0,68%, o mercado acionário brasileiro indica uma abertura em alta no encerramento desta semana. Há pouco, o Ibovespa futuro subia 0,62%, alcançando 69.030 pontos. Ontem, o mercado acionário brasileiro recuou para 68.441 pontos, com giro financeiro de R$ 5,477 bilhões. Na semana, o Ibovespa acumulava perda de 0,56% e, no mês, subia 2,91%. No ano, entretanto, o índice voltou a cair, 0,21%.

Apesar do maior otimismo dos agentes com relação a um plano de socorro à Grécia por parte dos países europeus, reunidos ainda hoje em Bruxelas, pesaram sobre o mercado brasileiro a queda dos papéis da Petrobras e o enfraquecimento das bolsas americanas.

Ontem, em Wall Street, o índice Dow Jones fechou com alta de 0,05%, enquanto o S & P 500 declinou 0,17% e o Nasdaq diminuiu 0,06%.

As ações PN da Petrobras estiveram entre as maiores baixas do índice brasileiro, ao recuarem 2,46%, a R$ 35,20, com giro de R$ 633 milhões.

Na agenda de hoje, nos Estados Unidos, os agentes recebem a leitura final do Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre. Além disso, a Universidade de Michigan mostra o comportamento do índice de confiança em março.

Na Europa, as atenções seguem centradas nos resultados do encontro do Conselho Europeu. Após várias semanas de resistência, a chanceler alemã Angela Merkel e o presidente francês Nicolas Sarkozy fecharam um acordo para estabelecer um mecanismo que permite ajudar a Grécia financeiramente. A fórmula escolhida prevê a intervenção do Fundo Monetário Internacional (FMI) e empréstimos bilaterais dos Estados da zona do euro.

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, avaliou o mecanismo como exequível, mas improvável de ser ativado. "Estou confiante de que não será necessário ativar esse mecanismo e que a Grécia vai reconquistar progressivamente a confiança do mercado", sustentou.

Apesar do anúncio, os agentes mostram cautela nos negócios do continente, já que as principais bolsas operavam em baixa. Nos Estados Unidos, os índices futuros mostram ganhos.

Na Ásia, as principais bolsas encerraram a sessão desta sexta-feira em alta, com Tóquio, Xangai e Hong Kong avançando mais de 1% no fim da sessão.

Ainda na temporada de balanços brasileiros, a incorporadora Cyrela apresentou lucro líquido de R$ 207,718 milhões no quarto trimestre de 2009, um salto de 457,3% em relação aos R$ 37,272 milhões apurados em igual trimestre de 2008. A receita líquida cresceu 58,7%, para R$ 1,191 bilhão.

No acumulado de 2009, o lucro líquido atingiu R$ 729,349 milhões, alta de 162,6% sobre os R$ 277,708 milhões obtidos em 2008. A receita líquida evoluiu 43,6%, para R$ 4,087 bilhões. Os papéis da Cyrela Realty caíram 0,89% na sessão passada, para R$ 21,26.

No setor elétrico, a Cemig firmou com a Enlighted Partners Venture Capital LLC, com sede em Delaware (EUA) uma opção para compra de cotas do Luce Investment Fund por US$ 340,455 milhões. Se a Cemig exercer essa opção, na prática ficará com mais 13% da distribuidora de energia Light.

A opção poderá ser exercida entre os dias 1 e 6 de outubro de 2010 e o valor do contrato será acrescido de juros de 11% ao ano, contados desde 11 de dezembro de 2009 até a data do pagamento, descontado de eventuais dividendos que forem distribuídos pela Light.

Além disso, a Cemig efetuou pagamento à Andrade Gutierrez Concessões, no valor de R$ 718,518 milhões, referente à compra da participação de 12,5% no capital da Light. O acordo foi firmado entre as duas companhias em 30 dezembro de 2009 e envolve 25.494.500 ações da Light, ao preço de R$ 28,18 por ação.

O contrato prevê ainda a compra de mais 1.081.649 de ações da Light, também pertencentes à Andrade Gutierrez Concessões, equivalentes a 0,53% do capital. O negócio poderá ser feito até o dia 21 de setembro, pelo montante de R$ 31,949 milhões.

Os papéis Cemig PN recuaram 1,13% ontem, a R$ 29,66.

No mercado de câmbio, a moeda americana iniciou a jornada em queda, mas já reverteu o rumo, operando acima de R$ 1,81. Há instantes, o dólar comercial subia 0,16%, a R$ 1,815.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host