UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/03/2010 - 14h50

Mercado americano e ações da Petrobras levam Bovespa a inverter rumo

SÃO PAULO - A virada das bolsas americanas para o campo negativo e o recuo dos papéis PN da Petrobras pressionaram o mercado acionário brasileiro para baixo, no início da tarde desta sexta-feira.

Depois de atingir a máxima de 68.909 pontos, o Ibovespa inverteu o rumo e passou a operar em queda. Há pouco, o índice recuava 0,30%, aos 68.237 pontos, e girava R$ 3,7 bilhões.

Um dos destaques negativos do Ibovespa, os papéis PN da Petrobras operavam com perdas de 2,07% minutos atrás, cotados a R$ 34,47, e com volume movimentado de R$ 706,3 milhões.

Além da força vendedora dos investidores estrangeiros, podem estar pressionando as ações declarações feitas hoje pelo gerente de relações com investidores da estatal, Alexandre Quintão.

A Petrobras terá de buscar outras maneiras de capitalização para manter o nível de investimentos entre US$ 220 bilhões e US$ 220 bilhões para os próximos cinco anos no caso de a capitalização com a cessão onerosa de até 5 bilhões de barris não ser aprovada pelo Congresso. De acordo com Quintão, uma alternativa seria uma emissão pública de ações preferenciais, de forma a manter intocada a fatia de ações ordinárias nas mãos do governo e, ao mesmo tempo, não comprometer os investimentos previstos.

" (Uma alternativa seria) Uma capitalização sem aprovação do Congresso, via emissão pública de ações, só de ações preferenciais. Se o governo quiser participar, é uma decisão de governo e ele teria que ver os instrumentos necessários. Esta pode ser uma das alternativas " , disse Quintão.

Ele fez questão de frisar que, no momento, a empresa trabalha apenas com a possibilidade de o Congresso aprovar o projeto de capitalização com cessão onerosa e de o processo ocorrer ainda no primeiro semestre. Atualmente, o governo tem 32,1% do capital total da Petrobras e 55,6% das ordinárias.

Em Wall Street, as bolsas, que iniciaram a jornada em alta, perderam força e reverteram a direção no começo da segunda parte dos negócios.

Há instantes, o Dow Jones avançava apenas 0,05%, enquanto o Nasdaq se depreciava em 0,31% e o S & P 500 tinha perdas de 0,08%.

Pela manhã, os agentes estavam animados com a pesquisa da Universidade de Michigan, que mostrou que a confiança do consumidor americano ficou estável em março, na comparação com fevereiro. O indicador que mede esse sentimento marcou 73,6 no fim deste mês, coincidindo com a leitura do período anterior. Considerando o índice preliminar de março, de 72,5, o resultado final para o mês foi melhor. Também nos Estados Unidos, a gestão Barack Obama anunciou novas medidas para proprietários de imóveis com problemas. A iniciativa vai envolver o governo, por meio da Administração Federal Imobiliária (FHA, na sigla em inglês), no refinanciamento de empréstimos para pessoas que devem mais do que o valor de suas casas.

O plano contempla que as entidades creditícias reduzam o valor da hipoteca a ser paga por pessoas desempregadas e, em determinados casos, até eliminem esse pagamento.

O governo usará recursos do Programa de Alívio de Ativo Problemático (Tarp, na sigla em inglês) para cobrir a assistência ampliada, segundo um oficial.

Na Europa, apesar do anúncio de uma ajuda financeira à Grécia, as incertezas diante do acordo trouxeram cautela para os investidores, que preferiram reduzir posições nesta jornada.

No Brasil, entre os maiores volumes negociados estão as ações PNA da Vale, com giro de R$ 379,6 milhões, com alta de 0,29%, a R$ 48,31. Já os papéis ON da BM & FBovespa cediam 0,43%, a R$ 11,43, com volume de R$ 289,6 milhões.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host