UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/03/2010 - 19h58

Ação da Hypermarcas sai a R$ 21,00 e oferta passa de R$ 1,2 bilhão

SÃO PAULO - Os investidores conheceram o preço de emissão dos papéis da Hypermarcas, que realiza sua terceira venda de ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). O processo de coleta de intenção de investimento, ou bookbuilding, fixou o valor do ativo em R$ 21,00, o que representa um desconto de 3,45% sobre o fechamento de R$ 21,75 registrado nesta quarta-feira.

A informação sobre ocorrência de rateio na oferta de varejo só será conhecida amanhã. Mas a sinalização é de que a demanda pelos ativos da fabricante de bens de consumo foi elevada, já que foi colocado o lote adicional de 20%, além do suplementar de 15%. Entre as nove ofertas realizadas no ano, essa foi a primeira na qual o lote adicional foi exercido.

Foram ofertadas inicialmente 43,480 milhões de ações ordinárias. Considerando o exercício do lote adicional, o montante vai a 52,176 milhões. Com isso, a venda de novos papéis resultou em captação bruta de R$ 1,09 bilhão para o caixa da companhia.

Já está registrado o lote suplementar de 15% na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o que eleva a cifra para R$ 1,232 bilhão. Os coordenadores têm 30 dias para vender o lote suplementar no mercado, visando atender eventual excesso de demanda.

A Hypermarcas se comprometeu a usar 100% desse dinheiro na aquisição de novas companhias, ativos e marcas. Vale lembrar que, desde o anúncio da oferta, no fim de fevereiro, a empresa já anunciou a compra de quatro empresas - a fabricante de fraldas Sapeka, as empresas de produtos de higiene pessoal York e Facilit e a Luper Farmacêutica. Juntas, essas aquisições somam cerca de R$ 600 milhões.

Com a precificação da distribuição da Hypermarcas se encerra o calendário de oferta de março. O mês contou ainda com as ofertas da BR Properties, OSX, Gafisa e da Ecorodovias, que estreia amanhã no Novo Mercado. A lista seria maior se a Renova Energia não tivesse pedido mais tempo para avaliar sua distribuição.

Olhando para abril, o calendário de ofertas já conta com a distribuição primária da Julio Simões, empresa do setor de logística que pretende levantar cerca de R$ 1 bilhão. Mills, do setor de serviços para construção, que também quer cerca de R$ 1 bilhão. E nova venda de ativos da construtora Even.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host