UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/03/2010 - 10h50

Após três altas seguidas, Bovespa apresenta desvalorização no pregão

SÃO PAULO - Depois de encerrar os três últimos pregões no campo positivo - ainda que a variação de ontem tenha sido pouco expressiva - , o Ibovespa opera em baixa na jornada desta quarta-feira, que marca o encerramento do primeiro trimestre de 2010.

Por volta de 10h45, o índice recuava 0,33%, aos 69.730 pontos, e girava R$ 630,2 milhões. Ontem, o Ibovespa, que chegou a atingir 70.450 pontos na máxima do dia, subiu apenas 0,03%, aos 69.959 pontos, com volume financeiro negociado de R$ 5,473 bilhões.

Mais uma vez, são os indicadores internacionais que dão o tom da jornada. Nos Estados Unidos, a ADP, empresa que processa folhas de pagamentos, surpreendeu o mercado de forma negativa, ao revelar que o setor privado eliminou 23 mil postos de trabalho entre fevereiro e março, respeitando ajuste sazonal. Os dados oficiais, do Departamento de Trabalho dos EUA, saem na sexta-feira.

As bolsas americanas começaram os negócios em baixa, mesma direção travada pelo mercado europeu.

Pela manhã, a agência Eurostat informou que a inflação anual da zona do euro deverá ficar em 1,5% em março. Se confirmada, a taxa acabará bem acima daquela apurada em fevereiro, de 0,9%.

Já a taxa de desemprego da zona do euro registrou leve variação na passagem de janeiro para fevereiro, saindo de 9,9% para 10%. No segundo mês de 2009, o indicador se encontrava em 8,8%.

Na União Europeia, o nível de desocupação se situou em 9,6% em fevereiro, pouco acima dos 9,5% registrados na abertura do ano. O indicador superou a marca verificada em mesmo intervalo de 2009 (8,3%).

No cenário corporativo doméstico, as " blue chips " operavam em sentidos opostos. Enquanto as ações PNA da Vale recuavam 0,56%, instantes atrás, a R$ 49,27, os papéis PN da Petrobras aumentavam 0,05%, a R$ 34,82.

Ontem, o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou que a revisão dos investimentos da estatal para o período de 2011 a 2014 - que passaram de R$ 265 bilhões para R$ 250 bilhões - não implica corte de projetos da companhia petroleira. Segundo ele, a redução é apenas resultado de uma atualização interna dos investimentos programados, após a estatal passar um " pente fino " no programa de crescimento.

A revisão retira a participação de alguns sócios nos projetos, assim como exclui da conta os investimentos que serão realizados só depois de 2014, disse Gabrielli.

Entre os destaques de alta do Ibovespa, estavam os papéis PN da TAM, com valorização de 2,39%, a R$ 29,08.

A companhia aérea obteve lucro líquido de R$ 143,9 milhões no quarto trimestre de 2009, invertendo a direção tomada um ano antes, quando perdeu R$ 1,229 bilhão. O resultado respeita o critério BR GAAP. Em 2009 completo, a empresa anotou lucro líquido de R$ 1,342 bilhão pelo padrão BR GAAP, contra prejuízo de R$ 1,509 bilhão em 2008.

Também em alta, as ações ON da Redecard subiam 1,96%, a R$ 32,73, enquanto os papéis ON da JBS avançavam 1,16%, a R$ 7,79.

No sentido oposto, as ações ON da CCR Rodovias declinavam 1,40%, a R$ 39,34, enquanto os papéis ON da Duratex cediam 1,29%, a R$ 15,30, e os ON da Cosan recuavam 1,21%, a R$ 21,98.

Ainda nas perdas, as ações ON da Telemar caíam 1,05%, para R$ 37,60, enquanto as PN cediam 1,07%, a R$ 31,26.

Matéria publicada na edição de hoje do Valor revela que, após de anunciar as novas relações de troca das ações da Brasil Telecom (BrT) na semana passada, a Oi volta agora com uma versão revisada da sua emissão de R$ 2,25 bilhões em debêntures. Lançada em dezembro, a operação havia sido paralisada em fevereiro, logo depois de a operadora anunciar o aumento de algumas baixas no balanço da Brasil Telecom por conta de disputas judiciais.

Desta vez, conforme a reportagem, a nova versão da oferta pública de debêntures, prevê mudanças nos prazos de vencimento e também na distribuição entre as duas séries do papel. O lote de debêntures com vencimento em dez anos caiu de R$ 500 milhões para R$ 200 milhões. O restante vencerá em quatro anos, um ano a menos do que a empresa previa na emissão original de dezembro. Mas a remuneração oferecida permanece a mesma.

Pela manhã, a OGX Petróleo e Gás Participações informou que identificou presença de hidrocarbonetos em uma seção do poço 1-OGX-8-RJS, no bloco BM-C-41, em águas rasas da parte sul da Bacia de Campos. Há instantes, as ações ON da empresa avançavam 0,60%, a R$ 16,70.

No mercado de câmbio, pelo terceiro dia seguido, a moeda americana perde força para o real, no mesmo sentido travado contra libra e euro. Há pouco, o dólar diminuía 0,50%, a R$ 1,786 na venda.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host