UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/03/2010 - 14h10

Bovespa inverte rumo e passa a subir; dólar opera abaixo de R$ 1,78

SÃO PAULO - A diminuição das perdas no mercado americano, que fez com que algumas bolsas inclusive passassem a operar no campo positivo, está se refletindo na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Depois de oscilar entre 69.573 pontos e 70.078 pontos pela manhã, o Ibovespa subia, há instantes, 0,04%, para 69.985 pontos, e girava R$ 2,93 bilhões.

Em Wall Street, o índice Dow Jones recuava 0,17%, enquanto o Nasdaq subia 0,02% e o S & P 500 tinha queda de 0,04%.

Na Europa, as bolsas encerraram a sessão sem direção definida. Ainda atentos à situação fiscal da Grécia, os agentes receberam a notícia de que a agência Moody´s Investors Service reduziu a nota da dívida e de depósito de cinco bancos gregos por causa da debilidade na posição financeira deles e em razão de perspectivas econômicas difíceis para o país.

"As ações de rating foram realizadas diante de perspectivas macroeconômicas fracas para o país e o impacto esperado disso na capacidade de geração de lucro e na qualidade dos ativos desses bancos", comentou a Moody´s.

No mercado brasileiro, as "blue chips" operavam em rumos distintos. Há instantes, os papéis PN da Petrobras subiam 0,74%, a R$ 35,06, com volume financeiro de R$ 314,3 milhões, enquanto as ações Vale PNA declinavam 0,74%, a R$ 49,18, com giro de R$ 354,3 milhões.

O diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, afirmou hoje que a empresa mantém os planos de fazer uma oferta primária de ações até julho. "Não mudamos nossos planos", afirmou o executivo, que participa do seminário "Invest em Rio", em Nova York, organizado pelo Valor e The Wall Street Journal. "Ainda há tempo para fazer a oferta de ações. " Nas últimas semanas, surgiram comentários de que a Petrobras teria que encontrar formas alternativas para bancar os seus projetos de investimentos ligados à descoberta de petróleo do pré-sal, como tomar empréstimos ou vender ativos no exterior.

Segundo ele, a expectativa é de que o Senado aprove até o início de maio o projeto de capitalização da companhia. Se houver modificações na proposta, ela terá que voltar à Câmara, o que poderia demandar outros 10 dias. A capitalização, disse Barbassa, deverá estar concluída até fins de maio, permitindo que a oferta de ações seja estruturada logo em seguida.

"Há tempo para concluir a oferta de ações até fins de julho, quando o mercado financeiro entra em recesso", disse, referindo-se à queda do volume de negócios que normalmente ocorre nas férias de agosto no hemisfério norte.

Presente no mesmo evento, o empresário Eike Batista, dono do grupo EBX, disse que a petrolífera brasileira OGX Petróleo e Gás vai começar a produzir no primeiro trimestre de 2011 e terminar o ano com uma produção média de 20.000 barris diários.

Em entrevista aos jornais Wall Street Journal e Valor, o bilionário disse que vê um grande futuro para seus ativos de energia, classificando-os como " ativos únicos, fantásticos " , especialmente os da Bacia de Campos. Até 2015, a OGX deve produzir 730.000 barris por dia e 1,38 milhões de barris diários quatro anos depois, prevê Batista. Futuramente, as reservas da OGX são suficientes para tornar a empresa uma gigante de US$ 150 bilhões, disse ele. Minutos atrás, os papéis ON da OGX Petróleo registravam valorização de 0,12%, a R$ 16,62. Entre as altas mais expressivas do Ibovespa seguiam os papéis PN da TAM, com valorização de 5,98%, a R$ 30,10, o que mostra a boa recepção do mercado ao balanço trimestral da companhia aérea.

Além disso, as ações Redecard ON avançavam 3,55%, para R$ 33,24, enquanto os papéis ON da Lojas Renner tinham ganhos de 2,61%, a R$ 41,16.

Na direção oposta, lideravam as perdas do índice as ações ON da PDG Realty, com desvalorização de 3,95%, a R$ 14,33, enquanto os papéis ON da Cosan perdiam 3,05%, a R$ 21,57, e os ON da CCR Rodovias cediam 3,03%, a R$ 38,69.

No cenário cambial, o dólar recua ante o real pelo terceiro dia seguido e operava abaixo de R$ 1,78. Há pouco, na mesma trajetória estabelecida contra euro e libra, a moeda americana recuava 0,94%, cotada a R$ 1,778 na venda.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host