UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/03/2010 - 09h34

Bovespa pode começar pregão em baixa

SÃO PAULO - Depois de três dias de valorização e novas tentativas de retomar a linha dos 70 mil pontos, o pregão de quarta-feira pode ser de baixa na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A sinalização é dada pelo mercado futuro e está alinhada com o observado em outras praças de negociação. Por volta das 9h30, o Ibovespa com vencimento em abril caía 0,29%, a 69.690 pontos.

Atenção ao efeito calendário no pregão de hoje, que marca encerramento do mês e do trimestre. Alguns gestores podem pressionar preços para cima ou para baixo, visando ajustar suas carteiras.

Em Wall Street, os futuros acentuaram o movimento de baixa depois que a ADP, empresa que processa folha de pagamento, mostrou que foram perdidos 23 mil postos de trabalho no setor privado americano durante o mês de março. O consenso apontava para a criação de 40 mil novos postos. Os dados oficiais, do Departamento de Trabalho, saem na sexta-feira. A agenda americana do dia ainda reserva as encomendas à indústria, o índice de atividade em Chicago e os pedidos semanais por empréstimos hipotecários.

Na Europa, os índices chegaram a ensaiar alta, mas voltaram ao terreno negativo. Há pouco, o FTSE-100, de Londres, perdia 0,10%, enquanto o Xetra-DAX, de Frankfurt, se desvalorizava 0,05%.

Os investidores também lidam com notícias dando conta de que a Grécia pretende fazer uma emissão de bônus em dólares no final de abril ou começo de maio. A Grécia precisa levantar 32 bilhões de euros ao longo do ano para cumprir com suas obrigações da dívida. Na Ásia, a quarta-feira terminou com perda na maioria dos mercados. Tóquio cedeu 0,06%, mas segue próximo das máximas dos últimos 18 meses, aos 11.089 pontos. Seul recuou 0,43%. Na China, Xangai e Hong Kong caíram 0,63% e 0,62%, respectivamente.

No câmbio, os dados de emprego da ADP tiraram força do dólar, que opera estável contra o euro e perde da libra. Por aqui, a formação de preço é determinada pela Ptax (média das cotações ponderada pelo volume) que liquidará os contratos futuros de abril. Pelo comportamento da moeda, os vendidos (apostas pró-real) estão ganhando a briga contra os comprados (pró-dólar). Há pouco, o dólar comercial caía 0,55%, R$ 1,785 na venda.

Na terça-feira, o Ibovespa começou o pregão de forma positiva, testando os 70.450 pontos na máxima, mas as compras não resistiram à instabilidade externa. Ao final da jornada, o índice apontava leve alta de 0,03%, aos 69.959 pontos. O giro financeiro somou R$ 5,47 bilhões.

Em Wall Street, o Dow Jones não fechou nas máximas do dia, mas a valorização de 0,11% levou o índice ao patamar dos últimos 18 meses, aos 10.907 pontos. O S & P 500 fechou estável aos 1.173 pontos. E o Nasdaq avançou 0,26%. (Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host