UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

31/03/2010 - 16h24

Economia para pagamento de juros da dívida é a menor desde 2001

BRASÍLIA - A economia do setor público para o pagamento de juros da dívida pública em fevereiro, no valor de R$ 859 milhões, foi a mais baixa para o mês, na nova série corrigida pelo Banco Central (BC), desde 2001. A deterioração das contas da União foi compensada pelos governos estaduais, que tiveram o melhor superávit para o mês, no valor de R$ 3,719 bilhões.

Após classificar de "um pouco ruim" o resultado do mês passado, o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, preferiu destacar como "saudável" o resultado primário do bimestre, acumulando R$ 17,04 bilhões ou 3,26% do PIB.

Para ele, o superávit primário somado em janeiro e fevereiro confirma a tendência de que o governo poderá cumprir a meta "cheia" de 3,3% do PIB, sem descontar até 1,12% do PIB com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). No acumulado de 12 meses até fevereiro, o superávit equivale a 3,17% do PIB.

Ele explicou que o resultado dos governos estaduais foi beneficiado pelo repasse de R$ 2,5 bilhões em royalties de petróleo. E também pelo aumento nas transferências constitucionais do Tesouro (R$ 13 bilhões em fevereiro sobre R$ 10,7 bilhões em janeiro), por força da arrecadação recorde de impostos verificada em janeiro deste ano.

O resultado mensal do governo central (União, BC e Previdência) foi negativo em R$ 701 milhões, o pior para o mês desde fevereiro de 1995 (R$ 1,632 bilhão). Outro desempenho ruim foi das estatais federais, deficitárias em R$ 2,002 bilhões, com influência da distribuição de dividendos (Eletrobras) em R$ 400 milhões a acionistas privados. Lopes ressaltou ainda a conta de juros em R$ 14,138 bilhões, o maior volume para o mês desde fevereiro de 2008 (R$ 15,6 bilhões).

(Azelma Rodrigues | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host