UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/04/2010 - 11h36

DIs curtos têm ajuste de alta na BM & F

SÃO PAULO - Passado o ajuste de baixa promovido pela permanência de Henrique Meirelles no comando do Banco Central (BC), os contratos de juros futuros curtos apresentam leve acúmulo de prêmios de risco nesta terça-feira. Já os longos oscilam próximos da estabilidade.

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F), o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em maio de 2010 ganhava 0,01 ponto, a 8,72%. Julho de 2010 subia 0,02 ponto a 9,21%. Enquanto janeiro de 2011 apontava 10,39%, alta de 0,03 ponto.

Já entre os vencimentos mais longos, janeiro de 2012 tinha acréscimo de 0,12 ponto, a 11,64%. Janeiro 2013 marcava estabilidade, a 11,98%. E janeiro 2014 avançava 0,01 ponto, a 12,10%.

Segundo o sócio-gestor da Leme Investimentos, Paulo Petrassi, o " xis " da questão é a inflação. Dados relevantes, que podem ter algum impacto sobre a curva futura, só serão apresentados na quinta-feira, quando sai o IPCA e o IGP-DI de março.

Avaliando agora o horizonte de política monetária, Petrassi comenta que segue trabalhando com alta de 0,5 ponto percentual na Selic na reunião de 28 de abril. Para o gestor, a sinalização para o mercado de um início de ciclo com 0,75 ponto seria negativa, pois a leitura seria de que o quadro inflacionário é ruim.

Ainda de acordo com Petrassi, a permanência de Meirelles no comando do BC também vai na linha de um início gradual. "E, se necessário, o BC prolonga o ciclo de aperto." No campo externo, a Austrália subiu sua taxa de juro em mais 0,25 ponto percentual, para 4,25%. Essa foi a quinta elevação na taxa em seis encontros.

(Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host