UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/04/2010 - 18h11

Presidente da Ford prevê acordo sobre retaliação a carros americanos

SÃO PAULO - O presidente mundial da Ford, Alan Mulally, que está em visita ao Brasil, disse hoje que acredita em um acordo entre Brasil e Estados Unidos sobre a possibilidade de retaliação brasileira a uma série de produtos americanos, incluindo automóveis.

As sobretaxas sobre importados dos Estados Unidos - autorizada pela Organização Mundial do Comércio (OMC) em razão dos subsídios americanos a produtores de algodão - entrariam em vigor nesta quarta-feira, mas o governo brasileiro decidiu adiar o início das retaliações para o próximo dia 22, o que dá mais prazo de negociação para ambas as partes.

"Sobre a questão de comércio internacional, eu tenho certeza que os governos vão chegar a uma solução", disse Mulally, durante entrevista coletiva.

O executivo também afirmou que a montadora vê com preocupação os reajustes próximos a 100% nos preços do minério de ferro, que irão pressionar as margens na indústria siderúrgica, uma das principais fornecedoras do setor automotivo.

Segundo ele, qualquer alteração dos preços das matérias-primas pode ter uma influência no preço final do automóvel cobrado ao consumidor. Esse fator se soma ao fim da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que deixou os veículos mais caros nas concessionárias a partir deste mês.

Apesar dessas pressões sobre o custo final dos automóveis, Mulally acredita que o mercado brasileiro ainda terá robustez, uma vez que apresenta grande potencial de crescimento.

Em sua apresentação, ele destacou que a operação da Ford na América do Sul - onde o Brasil é responsável por mais de 60% das vendas - acumulou 24 trimestres seguidos de lucro.

Na quinta-feira, o executivo tem um encontro marcado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para apresentar os planos da montadora para os próximos anos. Em novembro, a empresa anunciou a meta de investir R$ 4 bilhões de 2011 a 2015.

Mulally, no entanto, não adiantou se apresentará a Lula alguma adição a esse plano. "Estou muito ansioso para falar de nossos planos. Mas, claro, gostaria de falar para ele primeiro", disse o presidente da montadora aos jornalistas.

(Eduardo Laguna | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host