UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/04/2010 - 16h26

Executivos do Citigroup pedem desculpas pela crise

SÃO PAULO - Dois executivos do Citigroup pediram desculpas publicamente pela crise financeira e pelo colapso do banco, que requereu ajuda de US$ 45 bilhões do governo americano. No entanto, ambos, pessoalmente, se isentaram da culpa de tudo o que aconteceu.

"Deixe-me começar pedindo desculpas. Eu sinto que a crise financeira tenha tido tal impacto devastador em nosso país", afirmou o diretor executivo do banco, Chuck Prince, à comissão federal que investiga as causas da crise.

Logo depois, o ex-secretário do Tesouro dos EUA e ex-presidente do conselho do grupo financeiro, Robert Rubin também expressou arrependimento pela falência da empresa e pela sua falta de habilidade em perceber a chegada da crise.

Ambos, por outro lado, tentaram se isentar dos fatores que originaram a crise, afirmando que não tinham noção, até setembro de 2007, da exposição do banco ao risco e acreditavam, inclusive, que os riscos de falência eram mínimos.

Os executivos deram ênfase ainda nas responsabilidade dos órgãos reguladores, que falharam. "Eu acho que os erros foram cometidos por todo mundo (...) e fundamentalmente foram cometidos pelos reguladores", afirmou Prince.

Rubin acrescentou que os erros cometidos pelo Citigroup e outras instituições mostram a necessidade de que as autoridades revisem a regulação dos mercados financeiros.

(Vanessa Dezem | Valor com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host