UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/04/2010 - 16h06

Movimento comprador ganha fôlego na Bovespa e alta supera 1%

SÃO PAULO - Depois de uma manhã agitada no cenário externo, por conta das preocupações dos investidores com a Grécia e com dados ruins do mercado de trabalho americano, os investidores retomaram o fôlego e voltaram a comprar nos mercados acionários.

Dados favoráveis do setor varejista americano animam o mercado. Um leilão de títulos do Tesouro dos Estados Unidos com prazo de 30 anos parece ter apresentado forte demanda, o que também impulsiona a alta das bolsas.

A valorização do mercado americano deu força para um movimento doméstico e a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) já apresenta ganhos superiores a 1%, apesar do recuo das commodities. Há pouco, o Ibovespa avançava 1,02%, aos 71.514 pontos, com volume financeiro negociado de R$ 5,098 bilhões.

Em Wall Street, o índice Dow Jones subia 0,45%, enquanto o S & P 500 ganhava 0,48% e o Nasdaq tinha alta de 0,38%.

No mercado brasileiro, as blue chips estão com um movimento distinto. Há instantes, os papéis PN da Petrobras recuavam 0,13%, a R$ 35,75, enquanto as ações Vale PNA avançavam 0,99%, a R$ 50,70.

Os papéis ON da PDG Realty seguem com a maior alta do Ibovespa, com ganhos de 4,77%, a R$ 15,14. Na ponta oposta, as ações ON da Natura apresentam a maior perda, ao recuarem 1,98%, a R$ 36,05.

Matéria publicada na edição de hoje do Valor revelou que a companhia está prestes a enfrentar um grande desafio de comunicação: a saída de um dos seus principais executivos para a política.
O fundador e copresidente do conselho de administração da empresa, Guilherme Leal, já foi anunciado pela candidata Marina Silva como o provável candidato a vice na sua chapa para a Presidência da República pelo PV.

Apesar de ainda não ter havido a confirmação oficial, o principal executivo de comunicação da empresa, Rodolfo Gutilla, já está se preparando para o que pode vir pela frente.
Ele admitiu, no evento realizado ontem em Nova York pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), entidade da qual ele faz parte do board, que está estudando os casos de empresas brasileiras e americanas que passaram por situação semelhante.
Também tem procurado ajuda de consultorias especializadas para montar um plano de comunicação caso a candidatura de Guilherme Leal seja confirmada.
(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host