UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/04/2010 - 19h29

PP e PSB estudam aliança para disputa ao governo paulista

SÃO PAULO - O PP e o PSB estudam a possibilidade de selar uma aliança para a disputa ao governo de São Paulo nas eleições deste ano. Os partidos até então batiam o pé em defesa da candidatura própria e, por isso, acabaram excluídos da coligação que está se formando em torno do senador Aloizio Mercadante, pré-candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes.
As conversas ainda estão em fase inicial e restritas às lideranças das duas legendas. Com a aliança, PP e PSB contarão com um tempo maior na propaganda eleitoral gratuita, além de garantirem palanques regionais. A expectativa é de que, com a união, o tempo destinado para as inserções no rádio e na TV seja de três minutos e 40 segundos.
A coligação, no entanto, pode esbarrar no momento de formar a composição, já que o PP não abre mão de ter o deputado Celso Russomano na cabeça de chapa. "Estamos conversando com o PSB com a condição de ceder o vice. Não cogitamos outra possibilidade", assegurou Russomano.

Segundo ele, a escolha do seu nome para liderar a coligação é uma questão de "bom senso" pelo seu histórico político. "Estou no meu quarto mandato como deputado, sendo que na última eleição (2006) fui o segundo mais votado, com 600 mil votos. Portanto, trata-se de uma questão natural", justificou.
Russomano também se baseou na pesquisa do Datafolha para defender sua indicação para liderar a aliança na corrida ao governo paulista. No levantamento, divulgado no mês passado, o deputado aparece em terceiro lugar, com 10% das intenções de voto, bem próximo de Mercadante, que tem 13%. Já Paulo Skaf, pré-candidato do PSB, está com apenas 2% das preferências.
O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) aparece disparado na ponta, com 52% das intenções de voto. Se confirmada as previsões em outubro, os tucanos vão permanecer, pelo menos, 20 anos no comando do Estado.

"Os dois partidos (PP e PSB) consideram importante a união. O Skaf é um bom nome para compor comigo", acrescentou Russomano.
(Fernando Taquari | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host