UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

08/04/2010 - 18h43

Venezuela pode prorrogar decreto sobre emergência elétrica

SÃO PAULO - O ministro para a Energia Elétrica da Venezuela, Alí Rodríguez Araque, disse ontem que iria propor ao presidente Hugo Chávez a extensão do decreto de emergência elétrica, publicado em 8 de fevereiro deste ano.

O objetivo é manter as medidas necessárias à completa estabilização do sistema elétrico venezuelano, segundo informações da Agência Bolivariana de Notícias. Apesar disso, ele sinalizou que as medidas de economia de energia devem diminuir progressivamente.

Além de ter decretado estado de emergência em fevereiro, com duração prevista de 60 dias, mediante possibilidade de prorrogação, o governo lançou um plano de economia de eletricidade que previa desde sanções até incentivos nas contas, tanto para clientes residenciais como comerciais e industriais.
Chávez tinha anunciado uma redução de até 50% da conta para clientes residenciais que diminuíssem o consumo em 20%, e uma cobrança extra de até 200% para quem elevar o consumo também em 20%.
Na quarta-feira, foi divulgado que a decisão de Chávez de ampliar a folga da Semana Santa se mostrou eficaz, uma vez que o consumi diário de energia se reduziu em 78 gigawatts (GW), sendo que a meta era de uma economia diária de 60 GW.

A Venezuela tem enfrentado uma crise energética, que, segundo a administração de Chávez, foi causada pela falta de chuva. No entanto, a oposição e especialistas afirmam que o motivo é a falta de investimentos no setor, bem como o pouco preparo para enfrentar o crescimento do consumo.

O problema levou o governo a racionar a distribuição de energia e isso afetou a popularidade do presidente, faltando pouco tempo para as eleições legislativas de setembro.

(Karin Sato | Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host