UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/04/2010 - 19h51

Alta de preços contribui para prorrogação de IPI reduzido, diz Mantega

RIO - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, admitiu que a alta de preços nos materiais de construção também contribuiu para a prorrogação da desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) no setor. Programada para acabar em junho, foi estendida até o fim do ano, em decisão anunciada hoje pelo ministro.

"Está havendo um açodamento porque todo mundo quer aproveitar essa redução de tributos e está havendo um congestionamento de pedidos no setor, o que acaba elevando até os preços, o que nós não queremos. Inflação nós não queremos", disse Mantega, que assinou hoje a autorização para que o Estado do Rio de Janeiro aumente o limite de endividamento para R$ 5,387 bilhões.

Além da alta de preços, Mantega lembrou que a medida será importante para acelerar o nível de investimentos no país, assim como a geração de empregos.

"É um setor que tem aumentado o emprego e sabemos que o emprego deve ser o principal objetivo do governo", destacou.
"O setor de construção civil está bombando em todo o país e o estamos estimulando em todo o país", acrescentou, ressaltando que o pedido foi feito ao Ministério na semana passada por empresários do ramo de construção.

Mantega negou ainda qualquer possibilidade de perda de receita do Rio de Janeiro com a proposta de redistribuição de royalties em discussão no Congresso e garantiu que o aumento do teto de endividamento do Estado considera as perspectivas de receita do Rio em 2010 e nos próximos anos.

"O Rio mostrou que está habilitado a receber esse financiamento e depois retorná-lo, pagá-lo. A hipótese é de que a arrecadação vai continuar crescendo no Rio de Janeiro nos próximos anos, com base no desempenho econômico do Estado, das receitas", disse.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host