UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/04/2010 - 14h32

Bovespa recua e perde os 71 mil pontos; dólar acentua baixa

SÃO PAULO - Descolada do mercado externo, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) mantém a trajetória negativa no início da tarde desta quinta-feira, pressionada pelos papéis da Petrobras.

Próximo das 14h25, o Ibovespa, que oscilou entre 70.429 pontos e 71.065 pontos, recuava 0,50%, aos 70.682 pontos, com volume financeiro negociado de R$ 5,636 bilhões.

Em Wall Street, as bolsas subiam pelo sexto dia. Minutos atrás, o índice Dow Jones avançava 0,15%, enquanto o S & P 500 também ganhava 0,15% e o Nasdaq tinha alta de 0,40%.

Na Europa, as bolsas encerraram a jornada no campo positivo. O índice FTSE-100, da bolsa londrina, fechou em alta de 0,50%, para 5.825 pontos; o CAC-40, do mercado parisiense, ganhou 0,20%, para 4.066 pontos, enquanto o alemão DAX marcou 6.291 pontos, valorização de 0,21%.

Voltando para o mercado acionário brasileiro, os papéis PN da Petrobras seguem dando impulso para as vendas na Bovespa. Há pouco, as ações declinavam 1,66%, a R$ 33,68, com giro financeiro de R$ 979,4 milhões.

Entre as maiores baixas do Ibovespa estavam os papéis PN da NET, que recuavam 3,73%, a R$ 21,66, as ações Copel PNB, com baixa de 2,79%, a R$ 35,80, e Usiminas ON, que perdiam 2,58%, a R$ 60,40.

Já os papéis PNA da Vale aliviavam o movimento do mercado, com elevação de 0,56%, a R$ 51,20, com volume negociado de R$ 1,688 bilhão.

Além disso, figuravam entre as maiores altas do Ibovespa os papéis ON da Fibria, com valorização de 2,83%, a R$ 39,48.

A empresa, resultante da fusão de Votorantim Celulose e Papel (VCP) e Aracruz, e a Suzano Papel e Celulose anunciaram hoje reajuste de US$ 50 por tonelada nos preços da celulose de fibra curta, a ser implementado a partir de 1º de maio.

Esse é o quinto aumento anunciado em 2010 e é válido para os três mercados mundiais de referência. Com a alta, a cotação da matéria-prima na América do Norte alcança US$ 920 por tonelada. Na Europa, o preço vai a US$ 890 por tonelada e na Ásia/China, US$ 850.

Os destaques positivos da Bovespa também partiam dos papéis ON da OGX Petróleo, que avançavam 2,83%, a R$ 18,12, e ON da Natura, com aumento de 2,38%, a R$ 36,03.

No mercado cambial, o dólar acentuou as perdas em relação à moeda brasileira, embora ganhasse força contra o euro. Pela sexta sessão seguida, a divisa americana tinha queda de 0,85%, para R$ 1,734.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host