UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/04/2010 - 11h33

Mercado adota cautela e Ibovespa recua; dólar cede pelo 6º dia

SÃO PAULO - Indicadores favoráveis da economia chinesa contrastam com números negativos do mercado de trabalho americano na jornada desta quinta-feira. A cautela prevalece no cenário brasileiro e resulta na queda do Ibovespa. Há pouco, o principal índice da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F) recuava 0,17% e somava 70.916 pontos. O giro financeiro está em R$ 2,473 bilhões.

Em Wall Street, as bolsas se dividiam. Enquanto o índice o Dow Jones tinha desvalorização de 0,07%, o S & P 500 avançava 0,03% e o Nasdaq subia 0,29%.

Nos destaques da agenda externa, o Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu 11,9% nos três primeiros meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2009, somando 8,06 trilhões de yuan (US$ 1,19 trilhão).

Já nos Estados Unidos, houve um aumento inesperado dos pedidos de seguro-desemprego, que somaram 484 mil na semana terminada no dia 10 deste mês, alta de 24 mil em comparação com a marca de 460 mil de uma semana antes.

Ainda pode contribuir para uma maior apreensão dos investidores a notícia de que a Grécia está requisitando novas conversas sobre o plano de resgate financeiro acertado entre os integrantes da zona do euro e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O pedido foi feito por carta assinada pelo ministro das Finanças da Grécia e enviada ao comissariado econômico europeu e ao diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn.

No front corporativo brasileiro, as"blue chips"operavam em sentidos opostos. Há instantes, os papéis PN da Petrobras caíam 0,26%, a R$ 34,16, enquanto as ações PNA da Vale aumentavam 0,66%, a R$ 51,25.

Entre as maiores valorização do Ibovespa estavam os papéis ON da OGX Petróleo, com valorização de 2,04%, para R$ 17,98, as ações ON da Fibria, com aumento de 1,97%, para R$ 39,15, e as PN da TAM, com apreciação de 1,66%, a R$ 32,96.

Já entre as maiores baixas figuravam os papéis PN da NET, com recuo de 2,53%, a R$ 21,93, as ações ON da Cosan, com queda de 1,64%, a R$ 23,36, e Copel PNB, com depreciação de 1,49%, a R$ 36,28.

No mercado de câmbio, o dólar ensaiou uma recuperação no início dos negócios, mas voltou a perder força para a moeda brasileira, pelo sexto dia consecutivo. Há pouco, a divisa americana registrava baixa de 0,34%, cotada a R$ 1,743 na venda.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host