UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/04/2010 - 12h22

Para diretor da Vale, há grande chance de cair suspensão de Belo Monte

SÃO PAULO - A suspensão da licença ambiental e o cancelamento do leilão da hidrelétrica de Belo Monte, marcado para a próxima semana,"não quer dizer nada", disse o diretor de Desenvolvimento e Implantação de Projetos de Capital, Sustentabilidade e Relações Institucionais da Vale, Fernando Quintella.

Ontem, o Ministério Público Federal (MPF) conseguiu uma liminar para suspender a licença prévia da hidrelétrica no rio Xingu e cancelar o leilão."A chance de derrubar essa liminar até o dia 20 é enorme", comentou ele.
Quintella avaliou que o leilão de Belo Monte"está uma confusão". Hoje, só existe um consórcio interessado, do qual a Vale faz parte, juntamente com Andrade Gutierrez, Neoenergia e Votorantim."O governo quer montar outro consórcio e não quer adiar o leilão", disse o executivo.

Reportagem de hoje do jornal Valor explica uma das razões para a resistência do governo em alterar a data do leilão da usina. No dia 22, um novo presidente assume o Tribunal Regional Federal da 1ª região. Até lá, o cargo estará com Jirair Aram Meguerian, a quem o governo vai recorrer para suspender a liminar concedida ontem pelo juiz federal de Altamira. O magistrado já suspendeu duas liminares, também da Justiça Federal de Altamira, contra a realização do leilão.

O diretor da Vale participa do seminário"Pará - Oportunidades de Negócios", promovido pelo Valor.

(Karin Sato | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host