UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/04/2010 - 13h31

É hora de apostar na legitimidade do governo do DF, diz Rosso

BRASÍLIA - Eleito para um mandato-tampão de oito meses, o novo governador do Distrito Federal, Rogério Rosso (PMDB), tomou posse nesta segunda-feira, assumindo o compromisso de evitar a intervenção federal, pedido que está em análise no Supremo Tribunal Federal (STF).

"O DF espera de todos nós um resgate da normalidade. Não é hora de apostar no fracasso, mas sim, na legitimidade do governo local", disse no discurso de posse. Segundo ele, o maior desafio agora é combater a corrupção."Nosso maior obstáculo é a desconfiança", comentou.

Rosso é o quarto governador a comandar o Distrito Federal desde o início da crise, em novembro do ano passado. Vai ocupar o lugar deixado por José Roberto Arruda (sem partido), cassado e preso acusado de receber dinheiro de esquema de propina. Foi eleito de forma indireta e recebeu votos, inclusive, dos deputados acusados de participação no esquema.

O novo governador prometeu um governo de coalizão e de transparência nos gastos. Como primeira medida, garantiu a divulgação de balanços quinzenais das contas do governo e a redução da máquina administrativa. Prometeu também identificar falhas no ordenamento territorial do DF.

Na cerimônia de posse, Rosso se emocionou quando suas três filhas subiram na tribuna do Plenário para fazer um discurso feito por elas."Queremos mais transporte, mais emprego e mais segurança", disse Roberta, de oito anos.

Depois da posse, foi lida uma carta em que o então governador em exercício, Wilson Lima (PR), anunciou seu retorno à Câmara Legislativa, onde ocupa a Presidência. Lima assumiu o comando do Distrito Federal depois da cassação de José Roberto Arruda e da renúncia ao mandato do vice-governador, Paulo Octávio.

"No momento em que Brasília mais precisava, estive presente. E fiquei à frente do governo. Pus calmaria a essa cidade. Cumpri o meu dever. Volto de cabeça erguida", disse.

Wilson Lima foi candidato à eleição indireta que elegeu Rosso. Teve apenas quatro dos 23 votos possíveis.

(Agência Brasil)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host