UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

22/04/2010 - 20h25

Toyota nega defeito e promete medidas contra proibição de vendas em MG

SÃO PAULO - A Toyota afirmou hoje que tomará"medidas necessárias que preservem seus direitos"em relação à decisão do Ministério Público de Minas Gerais de proibir a venda no Estado de carros do modelo Corolla, produzido pela montadora. A determinação se deu após relatos de aceleração contínua involuntária em nove veículos. A montadora alega que os veículos Corolla não apresentam qualquer defeito capaz de ocasionar aceleração involuntária, relacionando essa ocorrência ao mau posicionamento ou instalação incorreta do tapete do motorista, assim como ao uso de tapetes não genuínos,"incompatíveis com o projeto do veículo". Por sua vez, o Ministério Público mineiro sustenta que a informação sobre a fixação do tapete não é dada ao consumidor no momento da compra e tampouco está visível no interior do veículo. Essa informação, diz o órgão, consta apenas no manual de instruções do carro, o que não atende a exigências do Código de Defesa do Consumidor.

Dessa forma, o órgão informou que a venda do Corolla somente será liberada quando a fabricante adotar medidas que impeçam a troca do tapete original de fábrica e efetuar a troca dos tapetes dos veículos em circulação.

Em sua nota, a Toyota diz que respeita, mas não concorda com a decisão. A montadora ainda afirma que a campanha de recall do pedal do acelerador anunciada pelas afiliadas da Toyota Motor Corporation não afeta os modelos vendidos no mercado brasileiro.

"Os componentes dos modelos usados nas regiões atingidas pelo recall são diferentes dos componentes usados nos veículos Toyota vendidos no Brasil", afirma.

(Eduardo Laguna e Karin Sato | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host