UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

27/04/2010 - 17h27

Petróleo recua diante de rebaixamentos de Grécia e Portugal

SÃO PAULO - O pessimismo dos mercados após o duplo rebaixamento de ratings soberanos pela S & P - da Grécia e de Portugal - também afetou os preços dos contratos futuros de petróleo.

Em Nova York, o WTI para junho recuou US$ 1,76, ou 2,1%, fechando a US$ 82,44 o barril, enquanto o vencimento de julho perdeu US$ 1,47, para US$ 85,00. Em Londres, o Brent de junho caiu US$ 1,05, ou 1,2%, para US$ 85,78, e o contrato de julho terminou a US$ 86,65, com queda de US$ 0,97.

Primeiro os investidores absorveram a decisão da Standard & Poor´s de rebaixar a nota de Portugal de"A+"para"A-". A mudança ocorre um mês após a Fitch rebaixar a nota portuguesa.

Na sequência, a mesma agência de classificação de risco derrubou a nota da Grécia em dois degraus, de"BBB+"para"BB+", tirando do país o status de grau de investimento.

"Nossas hipóteses atualizadas sobre as perspectivas econômicas e fiscais da Grécia nos fizeram concluir que a solvência soberana não é mais compatível com um rating de grau de investimento", disse a S & P. A perspectiva das notas dos dois países é negativa, ou seja, novos rebaixamentos podem ocorrer. O"golpe duplo"da S & P alimentou as preocupações dos investidores sobre qual será o próximo país da região a sofrer rebaixamento, já que Espanha e Irlanda também estão em situação fiscal complicada.

As turbulências no continente fizeram o euro perder valor frente ao dólar, afetando por tabela os preços das commodities, cotadas na moeda americana.

Os investidores voltam as atenções agora para o relatório de estoques de petróleo dos Estados Unidos, que será divulgado amanhã. Analistas preveem aumento nas reservas de óleo cru da ordem de 1 milhão de barris.

(Téo Takar | Valor com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host