UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/04/2010 - 09h50

Após perder os 67 mil pontos, Bovespa deve iniciar pregão em alta

SÃO PAULO - Um dia depois de o mercado acionário mundial ter registrado fortes perdas em função do rebaixamento das notas da Grécia e de Portugal pela Standard & Poor´s, a jornada desta quarta-feira na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) promete ter um início positivo. Há pouco, na mesma trajetória dos índices americanos, o Ibovespa futuro avançava 1,23%, aos 67.810 pontos.

Ontem, o principal índice da Bolsa despencou 3,43% - maior baixa diária desde 4 de fevereiro (4,73%) -, aos 66.511 pontos, no menor nível desde 26 de fevereiro (66.503). O volume financeiro negociado somou R$ 8,585 bilhões.

Em Wall Street, o índice Dow Jones encerrou a jornada com baixa de 1,90%, aos 10.992 pontos, o S & P 500 recuou 2,34%, aos 1.184 pontos, e o Nasdaq se desvalorizou em 2,04%, aos 2.471 pontos.

Além de prestarem atenção aos acontecimentos na Grécia, os investidores atuarão hoje na expectativa em relação às decisões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos.

Por aqui, o Comitê de Política Monetária (Copom) deve dar início ao ciclo de aperto monetário, subindo a taxa Selic, que desde setembro do ano passado está em 8,75%.

Já o Federal Reserve (Fed), banco central americano, deverá manter, na avaliação das instituições, a taxa básica americana no intervalo de zero a 0,25% ao ano. O comunicado divulgado após o encontro, entretanto, poderá trazer novas indicações sobre os próximos passos do Fed.

Na Europa, o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, se reúne com a chanceler alemã Angela Merkel e o ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, para discutir o apoio financeiro à Grécia.

Na tentativa de persuadir os relutantes políticos alemães com relação a ajudar Atenas, Strauss-Kahn tem a companhia do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet.

De acordo com informações dos jornais Financial Times (FT) e Wall Street Journal (WSJ), o Fundo Monetário Internacional (FMI) estaria estudando a possibilidade de elevar sua participação no plano para socorrer a Grécia, traçado junto com líderes europeus.

Pelo jornal britânico, o Fundo avalia ampliar seu aporte em 10 bilhões de euros. Pelo WSJ, estaria em análise um incremento de 5 bilhões de euros a 10 bilhões de euros.

O acordo acertado entre líderes europeus e com o FMI dá conta de um apoio de 30 bilhões de euros por parte dos países da zona do euro e de 10 bilhões de euros a 15 bilhões de euros pelo organismo multilateral.

Neste pregão, as bolsas asiáticas encerraram a sessão no campo negativo, em meio ao temor quanto à piora da crise da dívida enfrentada pela Europa. Em Tóquio, o índice Nikkei 225 recuou 2,57%.

No ambiente corporativo, a temporada de balanços tem como destaque os resultados do Bradesco. O banco encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 2,103 bilhões, valor superior em 22% o R$ 1,723 bilhão registrado no mesmo intervalo de 2009.

Ajustado, o ganho correspondeu a R$ 2,147 bilhões, uma alta de 9,8% perante o montante dos três primeiros meses de 2009, de R$ 1,956 bilhão.

Ontem, as ações PN do Bradesco recuaram 1,60%, a R$ 30,75.

No setor de telecomunicações, a NET registrou lucro líquido mais enxuto no primeiro trimestre deste ano, de R$ 46 milhões, perante os R$ 120 milhões apurados nos três primeiros meses de 2009.

As ações PN da companhia cederam 1,25% na jornada passada, para R$ 20,50.

A Braskem concluiu ontem a compra da participação de 60% no capital da Quattor detida pela Unipar. A operação integra o negócio anunciado entre as duas companhias e a Petrobras em janeiro deste ano.

Em função da aquisição, a Braskem apresentará à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedido para realizar uma oferta pública de aquisição (OPA) das 7.688 ações ordinárias e 1.542.006 ações preferenciais detidas pelos acionistas minoritários da Quattor Petroquímica, que representam 0,68% do capital da companhia. O preço da OPA será de R$ 7,28 por ação ordinária e preferencial, equivalente a 80% do preço pago pela Braskem à Unipar. Ontem, as ações PNA da Braskem caíram 3,13%, a R$ 12,40.

A oferta primária de ações do frigorífico JBS saiu ao preço de R$ 8,00 por ação, um desconto de 1,3% em relação ao preço de fechamento do papel na Bovespa na terça-feira, de R$ 8,11.

A operação soma R$ 1,840 bilhão, com a emissão de 230 milhões de ações, montante que inclui a colocação de lote suplementar.

Os papéis da oferta serão liberados para negociação no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) no dia 29, sob o código JBSS3.

No mercado de câmbio, após avançar 1,14% na sessão passada, o dólar perde força para o real nesta quarta-feira. Há pouco, a divisa americana caía 0,45%, para R$ 1,757 na venda. No mercado futuro, o dólar tinha depreciação de 0,81%, a R$ 1,7575.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host