UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/04/2010 - 11h22

Ibovespa registra volatilidade nos negócios; dólar cai para R$ 1,761

SÃO PAULO - Embora tenha recebido um fôlego no começo dos negócios, quando chegou a atingir 67.253 pontos na máxima do dia, a cautela voltou a predominar sobre a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta quarta-feira e trouxe volatilidade para o pregão.

Por volta das 11 horas, o Ibovespa inverteu o rumo e passou a operar em baixa, trajetória revertida pouco depois. Há pouco, o índice subia apenas 0,04%, aos 66.537 pontos, e girava R$ 1,816 bilhão. Já o Ibovespa futuro subia 0,34%, a 67.210 pontos.

Nos Estados Unidos, as bolsas abriram o pregão em alta, mas agora operam de lado. Enquanto o índice Dow Jones subia 0,12%, minutos atrás, o Nasdaq recuava 0,08% e o S & P 500 tinha ganhos de 0,29%.

O investidor conta com uma série de notícias para avaliar. A Grécia, naturalmente, concentra as atenções dos agentes, que estão temerosos em relação à possibilidade de um pedido de moratória nos próximos dias.

A Alemanha, que tem sido uma resistência à liberação de uma ajuda financeira à Grécia, poderá aprovar o empréstimo em 7 de maio se Atenas concluir o quanto antes suas conversas com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e a União Europeia.

A porta-voz do Ministério das Finanças da Alemanha, Jeanette Schwamberger, disse hoje que a legislação para liberar a contribuição alemã de 8,4 bilhões de euros (US$ 11 bilhões) pode passar pelas duas casas do parlamento dentro de uma semana.

A Alemanha pode ser o principal contribuinte para o pacote de resgate de 45 bilhões de euros desenhado para a Grécia e que será financiado por países europeus e pelo FMI.

As reuniões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos também contribuem para deixar os investidores mais cautelosos no pregão.

Nos Estados Unidos, pesquisa da Mortgage Bankers Association (MBA) mostrou que o volume de pedidos de empréstimos imobiliários nos Estados Unidos diminuiu 2,9% na semana encerrada em 23 de abril, perante uma semana antes, com ajuste sazonal. Sem ajuste, o indicador declinou 1,9% no mesmo período.

No mercado corporativo, a temporada de balanços contou com a divulgação dos resultados do Bradesco, que fechou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 2,103 bilhões, valor superior em 22% o R$ 1,723 bilhão registrado no mesmo intervalo de 2009.

Ajustado, o ganho correspondeu a R$ 2,147 bilhões, uma alta de 9,8% perante o montante dos três primeiros meses de 2009, de R$ 1,956 bilhão.

Há pouco, as ações PN do Bradesco subiam 1,43% a R$ 31,19.

Entre as maiores altas do Ibovespa estão os papéis PNB da Cesp, com valorização de 1,99%, a R$ 24,49, as ações Eletrobras PNB, com ganhos de 1,95%, a R$ 30,71, e MMX ON, com apreciação de 1,94%, a R$ 12,58.

Ontem, o conselho de administração da Eletrobrás revelou que buscará junto à Aneel antecipar para julho a outorga da usina hidrelétrica de Belo Monte, prevista inicialmente para setembro.

Com isso, a estatal pretende conseguir obter a licença ambiental de instalação e iniciar as obras até setembro.

Antecipando a obra, o consórcio vencedor, o Norte Energia, terá um prazo maior para construir o empreendimento, que deve entrar em operação em 2015.

Já os destaques de baixa do Ibovespa são liderados pelos papéis ON da JBS, que recuavam, há instantes, 2,94%, a R$ 7,90.

A oferta primária de ações do frigorífico saiu ao preço de R$ 8,00 por ação, um desconto de 1,3% em relação ao preço de fechamento do papel na Bovespa na terça-feira, de R$ 8,11.

A operação soma R$ 1,840 bilhão, com a emissão de 230 milhões de ações, montante que inclui a colocação de lote suplementar.

Também no vermelho, estavam os papéis ON da OGX, com baixa de 1,95%, a R$ 17,06, e Bradespar PN, com recuo de 1,94%, a R$ 39,30.

Já as blue chips operavam em sentidos diferentes. Enquanto as ações Petrobras PN subiam 0,06%, a R$ 32,12, com giro de R$ 158,1 milhões, os papéis Vale PNA cediam 0,77%, a R$ 46,22, com volume de R$ 364,3 milhões.

No mercado de câmbio, o dólar segue perdendo força para o real, depois de ter avançado 1,14% na sessão passada. Há pouco, a moeda americana recuava 0,22%, a R$ 1,761 na venda, enquanto o dólar futuro cedia 0,59%, a R$ 1,7615.

(Beatriz Cutait | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host